Vem aí o primeiro “legal hackaton” em Portugal

A maratona de programação é organizada pela Startup Lisboa e pela Fundação Vasco Vieira de Almeida, e promove a literacia jurídica através da tecnologia. Equipas habilitam-se a ganhar até 7.000 euros.

Se tem questões legais que gostaria de ver respondidas, talvez a melhor solução passe por “correr uma maratona”. A Fundação Vasco Vieira de Almeida e a Startup Lisboa estão a organizar o primeiro “Legal Hackathon” em Portugal, com o apoio da Microsoft e a OutSystems, e da Life Long Learning da UNESCO. Esta maratona de programação conta já com datas marcadas para os próximos dias 16 e 17 de março.

O objetivo? Promover a literacia jurídica através da tecnologia, com o desenvolvimento de soluções que garantam ao cidadão comum o acesso fácil a informação jurídica. “Esperamos conseguir motivar a comunidade de estudantes e os empreendedores tecnológicos a pensarem e a desenvolverem soluções digitais e tecnológicas que ajudem os cidadãos a relacionarem-se com o mundo jurídico de uma forma bem mais fácil e acessível”, explica Miguel Fontes, CEO da Startup Lisboa, citado em comunicado.

“Nomeadamente, através de soluções que promovam ativamente os seus direitos de cidadania e de participação”, continua. “Este evento vem ao encontro dos valores que estão na génese da Fundação”, acrescenta João Vieira de Almeida, chairman da Fundação Vasco Vieira de Almeida.

Para o também advogado, um dos objetivos da fundação em organizar este evento passa por “fomentar a divulgação do conhecimento apoiando projetos inovadores, que facilitem a inclusão social, reconhecendo o papel incontornável da tecnologia nesse propósito”.

Durante dois dias, os candidatos ao ‘Legal Hackathon’ terão que desenvolver ideias inovadoras que respondam aos vários problemas propostos, que vão desde “como tornar a linguagem jurídica mais acessível?” a “como promover o legal empowerment de todos os cidadãos?”.

Durante o hackathon, as equipas vão estar acompanhadas por mentores especializados em tecnologia (com o apoio da Outsystems e Microsoft), em direito e gestão. Após o pitch das suas propostas, o júri irá deliberar os projetos vencedores e atribuir prémios no valor total de 10.000 euros: 7.000 euros para o primeiro, 2.000 euros para o segundo e 1.000 euros para o terceiro lugar.

Os concorrentes podem participar em equipa ou individualmente. As candidaturas estão abertas até o dia 28 de fevereiro, e podem ser feitas no site do evento.

Comentários ({{ total }})

Vem aí o primeiro “legal hackaton” em Portugal

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião