Lisboa cai após três dias de ganhos. BCP e Jerónimo Martins pesam

O PSI-20 está no vermelho em sintonia com os pares europeus, num dia em que o BCP e a Jerónimo Martins condicionam o rumo da praça bolsista nacional.

A bolsa nacional está no vermelho, após três dias a somar ganhos. O PSI-20 acompanha o rumo dos pares europeus, condicionado pelo deslize dos títulos do BCP e da Jerónimo Martins.

O PSI-20 arrancou a desvalorizar 0,17%, para os 5.135,08 pontos, em linha com as perdas de 0,2% sofridas pelo Stoxx 600, índice que agrega as 600 maiores capitalizações bolsistas do Velho Continente.

O BCP é um dos principais responsáveis pelas perdas que se registam na praça lisboeta. As ações do banco liderado por Miguel Maya recuam 0,43%, para os 23,13 cêntimos, influenciado pelos resultados aquém do esperado do HSBC. O maior banco europeu reportou um resultado trimestral antes de imposto de 19,890 milhões de dólares (17,6 mil milhões de euros), abaixo dos 21,260 milhões de dólares antecipados pelos analistas.

Referência negativa também para os títulos da Jerónimo Martins que recuam 0,59%, para 12,655 euros, sendo o segundo título mais penalizado do PSI-20. A liderança das perdas cabe aos CTT. As ações da empresa dos correios desvalorizam 1,03%, para os 3,086 euros, depois de a Anacom ter acusado os CTT de terem uma inadequada repartição de gastos entre as atividades postal e bancária. A empresa vai ser obrigada a ter um sistema de contabilidade analítica com separação de contas entre serviços e produtos.

A travar perdas mais acentuadas na bolsa nacional estão os títulos da Navigator. As ações da papeleira somam 0,24%, para os 4,236 euros, logo atrás da Corticeira Amorim que é a cotada do PSI-20 que mais valoriza nesta sessão. Os seus títulos avançam 0,31%, para os 9,80 euros.

(Notícia atualizada às 8h22 com mais informação)

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Lisboa cai após três dias de ganhos. BCP e Jerónimo Martins pesam

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião