Fitch baixa rating da dívida sénior não garantida do Banco Montepio

Downgrade surge depois de o governo português ter reforçado a proteção dos grandes depósitos de empresas, em detrimento da dívida sénior dos bancos.

A agência de notação financeira Fitch baixou os ratings da dívida sénior não garantida do Banco Montepio em dois níveis, de “B+” para “B-“, justificando-se com decisão do governo português de reforçar proteção aos grandes depósitos de empresas, em detrimento da dívida sénior dos bancos.

“Com a preferência de todos os depósitos, os depósitos de empresas e instituições em Portugal passam a ser privilegiados face a reclamações de dívida não garantida em caso de resolução ou liquidação [de um banco], estando ao lado dos depósitos de retalho e de pequenas e médias empresas”, refere a agência.

Mais nenhum rating do banco é afetado por esta decisão. Atualmente, o Banco Montepio tem um rating de “B+” e um “outlook” estável.

Na base desta decisão está um diploma que o Parlamento português já deu luz verde no passado dia 18 de fevereiro, isto depois de ter sido aprovado em Conselho de ministros no final do ano passado. “Esperamos que o Presidente da República promulgue a lei nas próximas semanas. Vai entrar em vigor no dia a seguir à publicação em Diário da República”, refere a Fitch.

No atual regime, em caso de liquidação ou resolução de um banco, são prioritários os depósitos abrangidos pelo Fundo de Garantia de Depósitos até 100 mil euros e os depósitos de pessoas singulares e micro/pequenas e médias empresas acima dos 100 mil euros.

Embora isto se vá manter no novo regime, a partir de agora também os depósitos das outras empresas (incluindo instituições do Estado) acima dos 100 mil euros vão gozar desta proteção, quando até agora estavam ao lado dos detentores de dívida sénior na escala de credores.

(Notícia corrigida às 19h07)

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Fitch baixa rating da dívida sénior não garantida do Banco Montepio

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião