Wall Street avança antes da Fed. Confiam no travão aos juros

As bolsas norte-americanas avançam no primeiro de dois dias de reunião da Fed. Esperam mais "paciência" de Powell na condução da política monetária.

Wall Street está a acompanhar a tendência positiva das bolsas europeias. Os índices estão a beneficiar da expectativa de um travão à subida dos juros por parte da Fed, numa altura em que os responsáveis da entidade liderada por Jerome Powell iniciam um encontro de dois dias para discutirem a política monetária.

Neste contexto, o S&P 500 soma 0,38%, para 2.843,57 pontos. O industrial Dow Jones valoriza 0,40%, para 26.018,81 pontos. O tecnológico Nasdaq sobe 0,43%, para 7.747,54 pontos, com especial destaque para as fabricantes de chips. A empresa de placas gráficas Nvidia regista ganhos de 3%, para mais de 174 dólares, com a notícia de que fez uma parceria com o SoftBank e a LG para instalar servidores de jogos no Japão e na Coreia do Sul.

Os investidores estão expectantes de que a Fed confirme na quarta-feira uma posição de maior cautela sem aumento das taxas de juro este ano, face aos dados económicos pouco animadores que têm sido publicados pelas autoridades norte-americanas ao longo deste mês. Há mesmo investidores que apostam numa redução dos juros em 2020.

Expectativas em torno da resolução do conflito comercial entre EUA e China também têm contribuído para a recuperação das bolsas. Os índices já praticamente eliminaram todas as perdas registadas nos últimos dias do ano passado.

A Boeing, uma das empresas mais sensíveis às questões comerciais, recupera 1% depois das fortes quedas dos últimos dias. A empresa tem estado sob forte pressão devido ao acidente do início da semana passada com um Boeing 737 Max 8, que foi “semelhante” a um outro acidente em outubro de 2018, com o mesmo modelo, totalizando centenas de mortos. As ações estão a cotar em 376,514 dólares.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Wall Street avança antes da Fed. Confiam no travão aos juros

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião