Hoje nas notícias: Passes, Iberdrola e advogados

  • ECO
  • 1 Abril 2019

Dos jornais aos sites, passando pelas rádios e televisões, leia as notícias que vão marcar o dia.

O investimento na redução do preço dos passes de transportes públicos está a ser mais elevado do que estava inicialmente programado. A espanhola Iberdrola está a avaliar onde irá reforçar o investimento nas renováveis e as barragens da EDP são uma hipótese. Na Assembleia da República, onde restrições aos parlamentares que trabalham em sociedades foram travadas, os advogados e juristas representam mais de um quarto dos deputados. Veja estas e outras notícias que marcam as manchetes nacionais.

Passes mais baratos custam mais 32 milhões do que o previsto

O programa de redução dos preços dos passes previa um investimento de 85,1 milhões de euros quando foi apresentado. O programa tem sofrido alterações e, seis meses depois, o valor já é de 117,5 milhões de euros. Os novos tarifários entram hoje em vigor, mas as contas só serão fechadas no final do ano.

Leia a notícia completa no Público (acesso pago).

Iberdrola abre a porta a comprar barragens da EDP

A energética espanhola Iberdrola tem nos planos um reforço no investimento em renováveis e redes reguladas nos países onde se encontra, o que inclui Portugal. Este plano, que prevê um investimento de 34 mil milhões de euros até 2022, pode abranger a integração de novos ativos no país, como por exemplo as barragens da EDP. “Estamos constantemente a analisar todas as oportunidades. A Iberdrola considera sempre todas as opções”, indicou uma fonte da empresa ao Negócios.

Leia a notícia completa no Jornal de Negócios (acesso pago).

Advogados e juristas em maioria no Parlamento

Foram aprovadas, na semana passada, regras menos restritivas ao exercício da advocacia durante o mandato de deputados do que estava planeado no texto inicial, num Parlamento onde a classe está em maioria. A norma permite aos parlamentares serem sócios ou prestarem serviços a sociedades que trabalhem para o Estado. A Assembleia da República é composta por 230 deputados, dos quais mais de um quarto são advogados ou juristas. São, no total, 42 advogados e 18 juristas.

Leia a notícia completa no Diário de Notícias (acesso pago).

Uber vai usar bicicletas fabricadas em Águeda para expansão pela Europa

A Uber juntou-se a uma empresa portuguesa para fabricar a nova geração das bicicletas elétricas da Jump. Os veículos que saírem da fábrica de Águeda vão fazer parte da expansão do serviço na Europa, que se encontra atualmente apenas disponível em Lisboa e Berlim. A capital alemã deverá ser uma a primeira a receber as novas bicicletas.

Leia a notícia completa no Público (acesso pago).

Isabel dos Santos e Oi enfrentam-se em Amesterdão

A Oi está em guerra com a empresária angolana Isabel dos Santos. A operadora detém 25% da Unitel através da subsidiária PT Ventures e reclama uma compensação por transações que, segundo a empresa brasileira, foram feitas com o propósito de a empresária “se enriquecer a ela própria e às companhias suas associadas”, entre elas, a Unitel International Holdings e a Tokeyna.

Leia a notícia completa no Público (acesso pago).

O jornalismo continua por aqui. Contribua

Sem informação não há economia. É o acesso às notícias que permite a decisão informada dos agentes económicos, das empresas, das famílias, dos particulares. E isso só pode ser garantido com uma comunicação social independente e que escrutina as decisões dos poderes. De todos os poderes, o político, o económico, o social, o Governo, a administração pública, os reguladores, as empresas, e os poderes que se escondem e têm também muita influência no que se decide.

O país vai entrar outra vez num confinamento geral que pode significar menos informação, mais opacidade, menos transparência, tudo debaixo do argumento do estado de emergência e da pandemia. Mas ao mesmo tempo é o momento em que os decisores precisam de fazer escolhas num quadro de incerteza.

Aqui, no ECO, vamos continuar 'desconfinados'. Com todos os cuidados, claro, mas a cumprir a nossa função, e missão. A informar os empresários e gestores, os micro-empresários, os gerentes e trabalhadores independentes, os trabalhadores do setor privado e os funcionários públicos, os estudantes e empreendedores. A informar todos os que são nossos leitores e os que ainda não são. Mas vão ser.

Em breve, o ECO vai avançar com uma campanha de subscrições Premium, para aceder a todas as notícias, opinião, entrevistas, reportagens, especiais e as newsletters disponíveis apenas para assinantes. Queremos contar consigo como assinante, é também um apoio ao jornalismo económico independente.

Queremos viver do investimento dos nossos leitores, não de subsídios do Estado. Enquanto não tem a possibilidade de assinar o ECO, faça a sua contribuição.

De que forma pode contribuir? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

Obrigado,

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Hoje nas notícias: Passes, Iberdrola e advogados

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião