Otimismo à volta das negociações comerciais anima Wall Street

Os investidores estão animados com as negociações comerciais entre a China e os Estados, que podem ditar, em breve, um acordo.

Os principais índices norte-americanos estão em alta, com os investidores otimistas quanto aos recentes sinais de recuperação da economia chinesa. A animar ainda mais Wall Street estão as negociações comerciais entre os Estados Unidos e a China, aumentando a esperança de um acordo entre as duas maiores economias do mundo.

O S&P 500 está a subir 0,43% para 2.879,40 pontos, enquanto o industrial Dow Jones valoriza 0,27% para 26.250,41 pontos. A acompanhar este desempenho está o tecnológico Nasdaq que sobe 0,52% para 7.889,08 pontos.

Os investidores estão otimistas devido aos recentes dados publicados sobre a economia chinesa, que mostram sinais de recuperação. Um relatório mostra que o setor de serviços da China encerrou março em máximos de 14 meses, o que acalmou as preocupações sobre uma desaceleração económica mundial, avança a Reuters (acesso livre, conteúdo em inglês).

Além disso, as declarações de Larry Kudlow, conselheiro económico da Casa Branca, deram outro ânimo às bolsas norte-americanas. Kudlow disse que os Estados Unidos e a China “esperam avançar mais” nas negociações comerciais esta semana, o que aumentou as esperanças de que seja alcançado um acordo entre os dois países.

“As negociações comerciais, supostamente perto de um acordo, estão definitivamente a dar um impulso positivo aos mercados da Ásia e dos Estados Unidos”, diz Robert Pavlik, da SlateStone Wealth LLL, citado pela Reuters. “O mercado acredita que isso é um bom sinal”.

Com estes acontecimentos, os fabricantes de chips, que obtêm a maior parte das suas receitas na China, estão em alta. A Advanced Micro Devices está a subir 5,08%, a Micron Technology valoriza 3,5% e a Intel soma 1,14%.

Comentários ({{ total }})

Otimismo à volta das negociações comerciais anima Wall Street

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião