Petróleo acelera. Está acima dos 70 dólares em Londres

O petróleo está em máximos de quatro meses. O Brent negoceia acima da fasquia dos 70 dólares por barril, com os investidores a anteciparem uma manutenção dos cortes na produção da OPEP.

O preço do petróleo continua a ganhar terreno nos mercados internacionais, estando a negociar acima da fasquia dos 70 dólares por barril em Londres, um máximo desde meados de novembro. A puxar pela cotação da matéria-prima está a perspetiva de manutenção dos cortes na produção da matéria-prima da OPEP e da Rússia.

O Brent, transacionado em Londres, está a valorizar pela terceira sessão consecutiva, registando uma subida intradiária de 0,33% esta segunda-feira, levando o valor do barril a cotar nos 70,56 dólares. Em Nova Iorque, o West Texas Intermediate, segue a tendência, avançando 0,52% para cotar nos 63,41 dólares por barril.

A puxar pelos preços está o corte na produção por parte da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP), numa altura em que aumenta a expectativa para saber o que fará o cartel na reunião de maio.

Brent acima dos 70 dólares

Fonte: Reuters

O cartel conhecido por OPEP+, que junta um conjunto de aliados encabeçado pela Rússia, comprometeu-se a cortar o abastecimento de matéria-prima em cerca de 1,2 milhões de barris diários ao longo deste ano. O ministro do petróleo da Arábia Saudita acredita que o mercado está a caminhar para um equilíbrio, mas diz que “ainda é preciso reduzir a oferta”.

Segundo a Reuters, a oferta da OPEP atingiu mínimos de quatro anos em março. As estimativas apontam para uma produção de 30,1 milhões de barris em 2019, menos 1,8 milhões de barris do que no ano anterior.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Petróleo acelera. Está acima dos 70 dólares em Londres

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião