Brexit gera mais de 1,7 mil milhões de investimento direto para Portugal

  • Lusa
  • 15 Abril 2019

Em dois anos, Portugal captou mais de 1,7 mil milhões de euros de investimento proveniente do Reino Unido. Brilhante Dias admite que investidores se possam ter desviado fluxos de outros mercados.

Portugal conseguiu, nos últimos dois anos, captar 1,7 mil milhões de euros de investimento direto do Reino Unido, disse à Lusa o Secretário de Estado da Internacionalização.

“É absolutamente assinalável”, disse Brilhante Dias, acrescentando, que por causa do processo de saída da União Europeia (UE),‘Brexit’, Portugal poderá ter recebido também fluxos de outros mercados que seriam antes dirigidos para o Reino Unido.

“Com tantas empresas a dizerem que querem deixar o Reino Unido, os portugueses perguntam o que é que Portugal tem feito para captar esse fluxo. E o que fizemos foi acompanhar esse fluxo, percebendo que é uma situação política ou diplomática muito complexa”, referiu Brilhante Dias.

O secretário de Estado adiantou ainda que desde o início da legislatura deste Governo, liderado por António Costa (2016), até ao final de março, foram contratualizados cerca de 2,7 mil milhões de euros de investimento direto para Portugal.

“Nós fechámos, até este mês, entre 2,6 e 2,7 mil milhões de euros de novo investimento direto contratualizado durante esta legislatura, ou seja, em 2016, 2017, 2018 e agora, já considerando o primeiro trimestre de 2019”, disse Brilhante Dias.

Trata-se de projetos de investimento direto com incentivos financeiros, com benefícios fiscais e com apoio à investigação e desenvolvimento.

“Isto é, em grande medida, uma confiança muito importante, de capital nacional, mas também de capital estrangeiro, no mercado português”, sublinhou.

Nestes valores não são considerados investimentos como os da Google ou da Volkswagen, por exemplo, porque esses nem sequer foram contratualizados, lembrou.

“Estes foram acompanhados por nós, mas não foram contratualizados. Vieram para Portugal sem incentivos, escolhendo Portugal pelos seus méritos como localização empresarial”, concluiu.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Brexit gera mais de 1,7 mil milhões de investimento direto para Portugal

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião