Horta Osório considerado um dos 50 maiores líderes mundiais pela Fortune

  • ECO
  • 19 Abril 2019

O gestor português tomou como sua a luta pela saúde mental e fala abertamente da crise de stress que ultrapassou em 2011. Está em 41.º lugar no ranking dos maiores líderes mundiais da revista Fortune.

Este ano, há um nome português na lista dos 50 maiores líderes mundiais, elaborada pela Fortune. É António Horta Osório, presidente executivo do britânico Lloyds Bank Group, que teve entrada direta para a 41.ª posição.

A revista destaca anualmente aqueles que considera encaixarem na figura de líder mundial, por serem pessoas que “estão a transformar o mundo e a inspirar os outros a fazerem o mesmo”. Entre os restantes nomes estão outros nomes bem conhecidos, como o casal Gates (Bill e Melinda), o procurador norte-americano Robert Mueller, a comissária europeia Margrethe Vestager e até o líder da Apple, Tim Cook.

António Horta Osório é o único português na lista. “Em 2011, oito meses depois de se tornar presidente executivo, Horta Osório retirou-se para receber ajuda para combater o stress. Hoje, está a dar aos colegas ferramentas para os ajudar, enquanto fala abertamente sobre a sua própria crise (e navega habilmente o Brexit)”, escreve a revista sobre o gestor português.

Numa altura em que tem assinado diversos artigos sobre saúde mental, a Fortune lembra que “o Lloyds providencia ao staff sénior com ferramentas de mindfullness e de análise psicológica para que possam processar melhor a ansiedade, e vai em breve fornecer ajuda semelhante a todos os funcionários”.

Em maio do ano passado, o gestor assinou uma coluna de opinião no The Guardian com o título “É tempo de acabar com o tabu da saúde mental no local de trabalho”. “Tornei a saúde mental um foco particular do banco em resultado da minha experiência pessoal”, disse na altura.

Comentários ({{ total }})

Horta Osório considerado um dos 50 maiores líderes mundiais pela Fortune

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião