Marcelo ruma à China. É recebido por Xi Jinping na segunda-feira em Pequim

  • Lusa
  • 25 Abril 2019

Marcelo Rebelo de Sousa chega à China na quinta-feira, onde ficará seis dias, para participar na segunda edição do fórum "Faixa e Rota".

O chefe de Estado português, Marcelo Rebelo de Sousa, vai ser recebido pelo Presidente da China, Xi Jinping, em Pequim, na segunda-feira, dia em que se reunirá também com o primeiro-ministro chinês, Li Keqiang.

Marcelo Rebelo de Sousa chega à China na quinta-feira, onde ficará seis dias, para participar na segunda edição do fórum “Faixa e Rota”, iniciativa chinesa de investimento em infraestruturas, em Pequim, em que irá discursar, no sábado, e depois para uma visita de Estado, a convite do seu homólogo, entre segunda e quarta-feira.

O programa da sua visita à República Popular da China, inclui ainda jantares com representantes das maiores empresas chinesas em Portugal e com exportadores portugueses para o mercado chinês, em Pequim, um seminário luso-económico e encontros com as autoridades locais de Xangai e da Região Administrativa Especial de Macau (RAEM).

Marcelo Rebelo de Sousa, que deu aulas em Macau, mas nunca esteve na China Continental, vai começar esta visita simbolicamente na Grande Muralha, na sexta-feira às 15h00 locais (8h00 em Lisboa), e ficará na capital chinesa até segunda-feira.

Nessa noite, seguirá para Xangai e encerrará a visita em Macau, no 1.º de Maio.

O seu encontro com o primeiro-ministro chinês, Li Keqiang, está marcado para as 11h10 locais (04h10 em Lisboa) de segunda-feira, na residência oficial Diaoyutai, após a deposição de uma coroa de flores no Monumento aos Heróis do Povo, na Praça Tiananmen.

À tarde, será recebido pelo Presidente da China, Xi Jinping, no Grande Palácio do Povo, pelas 17h30 (10h30 em Lisboa), numa cerimónia com honras militares. Após o encontro entre os dois chefes de Estado, haverá um banquete oficial.

Na noite de segunda-feira, o Presidente português parte para Xangai, a “capital” económica da China, onde estará menos de 24 de horas, com um programa que inclui um seminário económico luso-chinês e uma ida à Universidade de Estudos Internacionais, que tem um dos departamentos de língua portuguesa mais antigos da China.

Na terça-feira ao fim do dia, em Xangai, antes de viajar para Macau, Marcelo Rebelo de Sousa dará ainda uma receção a empresários, entidades culturais e portugueses residentes nesta região.

Em Macau, o chefe de Estado também estará menos de 24 horas, mas com uma agenda intensa, que inclui visitas à Santa Casa da Misericórdia, às ruínas da Igreja de São Paulo, à Escola Portuguesa, uma reunião com o chefe do executivo da RAEM, Fernando Chui Sai On, e uma receção à comunidade portuguesa.

Nesta deslocação à China, o Presidente da República estará acompanhado por uma delegação parlamentar composta pelos deputados Adão Silva, do PSD, Filipe Neto Brandão, do PS, Telmo Correia, do CDS-PP, pelo líder parlamentar do PCP, João Oliveira, e por Heloísa Apolónia, do Partido Ecologista “Os Verdes”.

Bloco de Esquerda e PAN optaram por não integrar a sua comitiva nesta visita, o que justificaram com a situação dos direitos humanos e das liberdades na China.

Pela parte do Governo, integram a comitiva oficial do chefe de Estado os ministros dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, e do Ambiente e da Transição Energética, João Pedro Matos Fernandes, e o secretário de Estado da Internacionalização, Eurico Brilhante Dias.

Marcelo Rebelo de Sousa recebeu Xi Jinping em Lisboa no início de dezembro.

Comentários ({{ total }})

Marcelo ruma à China. É recebido por Xi Jinping na segunda-feira em Pequim

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião