Mais limpa, descarbonizada e partilhada. É nesta energia que a EDP quer apostar

A empresa acaba de lançar uma campanha que torna possível ter até cinco painéis solares para autoconsumo de energia, a partir de 14,90 euros por mês.

A EDP está a dar mais um passo para um mundo mais descarbonizado. Agora, quer incentivar os clientes residenciais a apostar no consumo de uma energia mais limpa, mais descarbonizada e mais partilhada. Com o objetivo de criar “uma nova geração solar”, a elétrica lançou esta segunda-feira a campanha “Energia solar EDP”, que torna possível adquirir até cinco painéis solares para autoconsumo de energia.

De acordo com a EDP, o cliente pagará a partir de 14,90 euros por mês, durante 48 meses, sem ter de pagar entrada inicial. A energia gerada pelos painéis será, assim, utilizada para consumo do cliente. E, nos casos em que ainda seja necessário usar eletricidade da rede, “o cliente terá um desconto de 10% no tarifário de energia solar verde da EDP”, explica a empresa em comunicado, acrescentando que, desta forma, o consumidor estará a utilizar na sua casa apenas energia produzida a partir de fontes renováveis.

Os futuros clientes desta campanha são, para a empresa, “uma geração que quer poupar e desperdiçar menos, que se preocupa com a sua pegada ambiental e que tem como mentalidade a aposta na sustentabilidade do planeta“. Desta geração fazem parte “pessoas de todas as idades e contextos que, juntas, vivem e trabalham em nome de um bem maior e querem mais e melhor para o mundo em que vivemos”.

A oferta está já disponível no site da empresa, onde poderá, inclusive, recorrer à plataforma de aconselhamento. Aí, o cliente pode encontrar a melhor solução para o seu tipo de habitação e consumo, percebendo qual a poupança total por ano e o valor de investimento. Adicionalmente, o cliente poderá, também, acompanhar em tempo real a produção dos seus painéis e saber quanto está a poupar.

A EDP já é líder na energia solar em Portugal, tendo 80% da quota de mercado no consumo residencial. A empresa fez mais de 20 mil vendas e instalações em clientes residenciais, o que lhes permitiu poupar cerca de 20% nas suas faturas e, ao mesmo tempo, ajudar a evitar a emissão de quatro mil toneladas de dióxido de carbono.

Veja aqui o making of da campanha, “Welcome to the Solar World”.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Mais limpa, descarbonizada e partilhada. É nesta energia que a EDP quer apostar

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião