CGD vai pagar 200 milhões de dividendos ao Estado. E já tem autorização de Bruxelas

A CGD registou em 2018 um resultado líquido de 496 milhões de euros. Desta verba 200 milhões de euros são para entregar ao accionista Estado, algo que não acontece desde 2010.

A Caixa Geral de Depósitos, que em 2018 atingiu um lucro de 496 milhões de euros, vai entregar ao acionista Estado um dividendo no valor de 200 milhões de euros. No relatório de contas publicado esta terça-feira no site da Comissão de Mercado de Valores Mobiliários, o banco público assegura já ter obtido autorização por parte do Banco de Portugal, BCE e Direção-Geral da Concorrência Europeia.

Na proposta de aplicação de resultados, a CGD destina 200 milhões de euros para dividendos e informa que foi jáobtida a respetiva aprovação por parte das entidades de supervisão competentes, nos termos da legislação europeia e nacional em vigor“.

Uma medida que já tinha sido prevista pelo Governo no relatório que acompanha a proposta de Orçamento de Estado, com o Executivo a antecipar a entrega de dividendos por parte da CGD em 2019. Depois disso, ainda em outubro, Ricardo Mourinho Félix, secretário de Estado Adjunto e das Finanças, disse em entrevista ao Jornal Económico, que o Estado esperava encaixar cerca de 200 milhões de euros em dividendos já este ano.

O banco público não entregava dividendos ao acionista desde 2010. Oficialmente a distribuição de dividendos foi suspensa a partir de janeiro de 2013, na sequência do processo de recapitalização da CGD.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

CGD vai pagar 200 milhões de dividendos ao Estado. E já tem autorização de Bruxelas

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião