“Existem condições para continuação da Geringonça”, diz Duarte Cordeiro

  • ECO
  • 9 Maio 2019

Para o secretário de Estado Adjunto e dos Assuntos Parlamentares, a presença do PCP e do Bloco de Esquerda no Governo é uma "solução que se tem mostrado estável e positiva para os portugueses".

Com as legislativas cada vez mais próximas, a continuação dos partidos de esquerda no Governo é um assunto que levanta interrogações. Para Duarte Cordeiro, a Geringonça é uma “solução que tem funcionado” e, nesse sentido, acredita que “existem condições” para continuar. Em entrevista à Rádio Renascença, o atual secretário de Estado dos Assuntos Parlamentares falou na Lei de Bases da Saúde, sobre a qual ainda acredita ser possível um consenso.

“Esta solução tem-se mostrado estável, positiva para os portugueses, tem melhorado a vida das pessoas. (…) E é uma solução que tem funcionado e tem sido muito apreciada pelos portugueses“, começou por responder Duarte Cordeiro, quando questionado se considera possível a ida do Bloco de Esquerda (BE) e do PCP para o Governo.

Se todos quiserem, existem condições para continuação. (…) Há uma coisa que é certa: auto-limitar-nos não faz muito sentido”, continuou, afirmando que não tem por hábito “limitar as opções políticas dos vários partidos”.

Sobre a atual crise à volta da lei de bases da Saúde, que divide a geringonça, o secretário de Estado dos Assuntos Parlamentares prefere não a classificar como uma crise, mas sim como uma “divergência”.

“Na lei de bases da Saúde, as posições de partida são muito diferentes”, explicou. “Existe da nossa parte a esperança de convergência para uma nova lei de Bases da Saúde muito diferente da atual”, adiantou.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

“Existem condições para continuação da Geringonça”, diz Duarte Cordeiro

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião