Startup portuguesa Speak no pódio do Chivas Venture. Ganha terceiro prémio da competição mundial

A startup portuguesa ocupou o terceiro lugar do pódio da competição internacional Chivas Venture, trazendo para casa um cheque de 100 mil dólares (cerca de 90 mil euros).

Há uma startup portuguesa no pódio da competição mundial Chivas Ventures. A Speak conseguir levar para casa o terceiro primeiro do concurso, angariando 100 mil dólares, o equivalente a 90 mil euros. O primeiro prémio, de 310 mil dólares, foi para o México e o segundo, de 240 mil dólares, para a Polónia.

“Tivemos a oportunidade de levar o tema de inclusão social a um palco mundial e ao nível desta competição, o que é um privilégio e algo muito raro”, afirmou o CEO da Speak, Hugo Menino Aguiar, em resposta ao ECO.

Além do terceiro prémio, a startup conseguiu, ainda, o quarto prémio na competição online, uma posição que garantiu mais dez mil dólares ao projeto de cariz social. “Com o prémio vamos levar 10 migrantes e refugiados a implementar o Speak em dez novas cidades e, assim, aumentar o impacto a mais oito mil pessoas anualmente”, referiu Hugo Menino Aguiar.

Em janeiro, quando a Speak soube que iria competirna final internacional do Chivas Venture, o CEO dizia que ser o vencedor nacional significava mais “credibilidade e visibilidade”. Por um lado, “poderá aumentar o interesse em pessoas que querem abrir o Speak na sua cidade” e, por outro lado, “também em organizações que podem ajudar essas pessoas interessadas em abrir o Speak na sua cidade”.

Numa competição que juntou 20 países, a portuguesa distinguiu-se por ser um projeto centrado em comunidades que liga migrantes, refugiados e locais a viver na mesma cidade, “através de um conceito de aprendizagem inovador onde se quebram barreiras e se criam redes de suporte informais entre os participantes, de 157 nacionalidades diferentes”, explica a startup.

Portuguesa Speak no palco do Chivas Venture para receber o terceiro prémioSpeak

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Startup portuguesa Speak no pódio do Chivas Venture. Ganha terceiro prémio da competição mundial

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião