Empresas já se podem candidatar a prémio de governance e relação com investidores da Deloitte

  • ECO
  • 14 Maio 2019

Nos Investor Relations & Governance Awards (IRGA) da Deloitte, há duas novas categorias por concurso: Governance Initiative Award e Transformation Award. Empresas podem candidatar-se até 31 de maio.

As empresas com melhor governance e relação com os investidores vão ser premiadas na 32ª edição dos prémios Investor Relations & Governance Awards (IRGA), promovidos pela consultora Deloitte e com base na avaliação e decisão de um júri independente, presidido pelo economista Vítor Bento. As inscrições estão abertas até dia 31 de maio.

Na categoria de Governance Initiative Award serão distinguidos projetos com impacto significativo na melhoria das condições do governo societário ou do mercado. Já no Transformation Award, a consultora vai premiar projetos cujo desenvolvimento desencadeou a transformação da atividade ou do negócio.

Estes prémios são pioneiros no incentivo ao aumento da exigência dos investidores e dos reguladores para que as empresas sejam mais transparentes”, afirmou Luís Magalhães, managing partner da Deloitte, em comunicado. “A amplitude dessa exigência é, hoje, cada vez maior e requer líderes capazes de orquestrar verdadeiras soluções globais com relevância local. Uma liderança sinfónica”.

Ao ampliarmos o leque de projetos analisados estamos a dar a oportunidade às empresas de mostrarem o trabalho de excelência que têm vindo a promover nestas áreas, para que outras empresas sigam o seu exemplo.

Vítor Bento

Presidente do Juri dos Prémios IRGA

Este ano, é introduzida uma nova categorias nos prémios IRGA, aumentando o total para oito. Além das categorias Investor Relations, que incluem o CEO Award, CFO Award e IRO Award, do Lifetime Achievement Award e das categorias abertas a concurso — Governance Initiative Award e Transformation Award –, estreia nesta edição o Market Development Award, que visa reconhecer as iniciativas com impacto significativo no desenvolvimento do mercado de capitais.

“Esta é uma das principais novidades desta edição. Ao ampliarmos o leque de projetos analisados estamos a dar a oportunidade às empresas de mostrarem o trabalho de excelência que têm vindo a promover nestas áreas, para que outras empresas sigam o seu exemplo“, acrescentou Vítor Bento, presidente do júri.

As inscrições estão abertas até dia 31 de maio através do site do IRGAwards.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Empresas já se podem candidatar a prémio de governance e relação com investidores da Deloitte

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião