Investidores receiam guerra comercial. Wall Street em queda

Preocupações relativamente às tensões comerciais entre os Estados Unidos e a China, que não parecem ter fim à vista, pressionam Wall Street. Os investidores aguardam ainda as minutas da Fed.

As bolsas norte-americanas abrem em queda, com os investidores cautelosos. Tanto face às tensões comerciais, que estão a aquecer novamente depois de notícias de que os Estados Unidos querem aplicar sanções a mais uma empresa chinesa, mas também enquanto aguardam as minutas da reunião da Fed, que deverão dar mais explicações relativamente à ação da reserva federal norte-americana.

Apesar de terem suspendido temporariamente as sanções à Huawei, os Estados Unidos já terão outra empresa chinesa na mira. Relatos de que Washington está a estudar restrições a uma fabricante de equipamentos de videovigilância chinesa, a Hikvision, fizeram aumentar as preocupações dos investidores com a guerra comercial.

Os índices de referência estão em queda ligeira à espera de mais desenvolvimentos. O S&P 500 cai 0,29% para os 2.856,06 pontos, enquanto o industrial Dow Jones recua 0,23% para os 25.818,46 pontos. O tecnológico Nasdaq, que tem oscilado entre ganhos e perdas nas últimas sessões, desce 0,46% para os 7.749,81 pontos.

A Apple é uma das empresas do setor que não escapa às incertezas que rodeiam o panorama internacional, e recua 0,78% para os 185,14 dólares. Também a Qualcomm segue em queda, depois de um juiz dizer que a empresa cobrou preços demasiado altos a outras empresas pelas licenças para usar a sua tecnologia. Os títulos da tecnológica caem 7,94% para os 71,58 dólares.

Nas perdas destaque ainda para a Tesla, que, na semana passada, alertou os investidores de que só tinha liquidez para dez meses e pediu novos sacrifícios aos seus funcionários. Os títulos da empresa liderada por Elon Musk caem 1,85% para os 201,29 dólares.

A travar maiores perdas está o setor do retalho, depois de várias empresas apresentarem resultados. A Target brilha, depois de apresentar contas acima do esperado. Os títulos da empresa avançam 7,89% para os 77,69. Também a Home Depot sobe depois de revelar as contas, 0,36% para os 192,09 dólares.

O jornalismo continua por aqui. Contribua

Sem informação não há economia. É o acesso às notícias que permite a decisão informada dos agentes económicos, das empresas, das famílias, dos particulares. E isso só pode ser garantido com uma comunicação social independente e que escrutina as decisões dos poderes. De todos os poderes, o político, o económico, o social, o Governo, a administração pública, os reguladores, as empresas, e os poderes que se escondem e têm também muita influência no que se decide.

O país vai entrar outra vez num confinamento geral que pode significar menos informação, mais opacidade, menos transparência, tudo debaixo do argumento do estado de emergência e da pandemia. Mas ao mesmo tempo é o momento em que os decisores precisam de fazer escolhas num quadro de incerteza.

Aqui, no ECO, vamos continuar 'desconfinados'. Com todos os cuidados, claro, mas a cumprir a nossa função, e missão. A informar os empresários e gestores, os micro-empresários, os gerentes e trabalhadores independentes, os trabalhadores do setor privado e os funcionários públicos, os estudantes e empreendedores. A informar todos os que são nossos leitores e os que ainda não são. Mas vão ser.

Em breve, o ECO vai avançar com uma campanha de subscrições Premium, para aceder a todas as notícias, opinião, entrevistas, reportagens, especiais e as newsletters disponíveis apenas para assinantes. Queremos contar consigo como assinante, é também um apoio ao jornalismo económico independente.

Queremos viver do investimento dos nossos leitores, não de subsídios do Estado. Enquanto não tem a possibilidade de assinar o ECO, faça a sua contribuição.

De que forma pode contribuir? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

Obrigado,

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Investidores receiam guerra comercial. Wall Street em queda

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião