TAP quer financiar-se junto dos pequenos investidores. Emissão de dívida de 50 milhões oferece taxa de 4,375%

A companhia aérea portuguesa vai arrancar, a 3 de junho, com uma emissão de dívida de 50 milhões de euros. Quer financiar-se junto de grandes, mas também de pequenos investidores.

A TAP mantém os planos de ir para a bolsa. Mas antes de reforçar capital, precisa de se financiar. Desta vez, vai tentar fazê-lo com uma emissão de obrigações que estará disponível também para pequenos investidores. Pretende captar 50 milhões de euros, sendo que para atingir essa meta conta com uma taxa de juro elevada. Vai pagar 4,375%.

A dívida da empresa está contraída junto da banca, tendo sido alvo de renegociações que lhe permitirão reduzir os custos de financiamento nos últimos anos. Parte desse endividamento está a atingir o prazo, pelo que a TAP procura, agora, obter fundos através dos mercados para saldar esses compromissos. É neste contexto que avança com a emissão de obrigações.

Estes 50 mil títulos que pretende emitir, a 1.000 euros cada um, com maturidade em 2023, visam gerar “fundos para consolidar o seu passivo num prazo mais alargado, através do refinanciamento de dívidas que se vencerão num futuro próximo, bem como para financiar a sua atividade corrente”, refere a TAP no prospeto que já foi validado pela CMVM. O montante poderá ser revisto até dia 14 de junho.

A maior parte dos 50 milhões de euros que espera captar com a operação virão de investidores institucionais, mas a TAP conta com o apoio dos pequenos investidores portugueses que têm visto nestas obrigações de retalho uma alternativa atrativa para rentabilizarem as suas poupanças. Ainda recentemente o Benfica voltou ao mercado para colocar 40 milhões de euros, mas as ordens chegaram a 118 milhões.

"Fundos servem para consolidar o seu passivo num prazo mais alargado, através do refinanciamento de dívidas que se vencerão num futuro próximo, bem como para financiar a sua atividade corrente.”

TAP

Um fator que pesará na decisão dos investidores será a taxa de juro. Tendo em conta o risco associado a estes títulos — um detentor de obrigações é um credor da empresa, correndo o risco de perda de capital em caso de incumprimento –, bem como ao perfil da empresa, a TAP apresenta uma taxa de 4,375%. A título de exemplo, a SAD do Benfica colocou as obrigações com um juro de 3,75%.

Estas obrigações vão poder começar a ser subscritas a 3 de junho, terminando o prazo para colocar a ordem junto dos intermediários financeiros a 18 de junho. Qualquer investidor que coloque uma ordem mas queira revogá-la poderá fazê-lo até ao último dia da operação, sendo os resultados apurados a dia 19. Está prevista a admissão à negociação na Euronext Lisbon a 24 de junho.

O investimento em obrigações é completamente diferente da colocação das poupanças em depósitos, tanto em risco como em custos para quem o faz. E a TAP nota isso mesmo no prospeto. “À subscrição das Obrigações TAP 2019-2023 estarão associadas outras despesas e comissões”, refere.

Assim, “o subscritor poderá, em qualquer momento prévio à subscrição, solicitar ao intermediário financeiro a simulação dos custos do investimento que pretende efetuar, por forma a obter a taxa interna de rendibilidade do mesmo”. Pode fazê-lo junto do banco, mas também do site do regulador do mercado, a CMVM.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

TAP quer financiar-se junto dos pequenos investidores. Emissão de dívida de 50 milhões oferece taxa de 4,375%

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião