SIC põe Cristina Ferreira (e outras estrelas da estação) a vender obrigações aos pequenos investidores

Cristina Ferreira, que se transferiu para a SIC no ano passado, é um dos quatro rostos que a estação de Paço de Arcos vai utilizar para atrair investidores para as obrigações de retalho.

A SIC está no mercado. Não anda à procura de uma nova estrela, mas vai utilizar as que já tem para a ajudar a obter um financiamento de 30 milhões de euros junto dos pequenos investidores. Cristina Ferreira, que tem puxado pelas audiências da estação de Paço de Arcos, é uma das quatro caras que vão ser utilizadas na campanha da emissão de dívida.

Cristina, que se transferiu para a SIC no ano passado vindo da TVI, tem sido o principal rosto da mudança observada no canal de televisão da Impresa. E tem sido com o programa com o mesmo nome que a SIC tem conseguido aumentar as audiências, superando a rival de Queluz de Baixo.

“Assista ao seu sucesso na SIC” é o mote da campanha da empresa nesta campanha de obtenção de financiamento que “destina-se a diversificar as fontes de financiamento”, de acordo com a SIC. Ao lado da cara da apresentadora, mas também de outras três figuras de destaque da estação, Júlia Pinheiro, Diana Chaves e Ricardo Pereira, aparece em grande a taxa de juro: 4,5%.

“Subscreva obrigações SIC 2019-2022 e ganhe” 4,5% é a expressão utilizada pela SIC para levar os pequenos aforradores a aplicarem um mínimo de 1.500 euros nestes títulos de dívida que têm uma maturidade a três anos.

“A oferta pública de subscrição dirigida ao público em geral e o respetivo período de subscrição decorre entre 17 de junho de 2019 e 4 de julho de 2019″, refere ao prospeto da emissão de obrigações da SIC enviado à CMVM.

Veja as campanhas com as estrelas da SIC

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

SIC põe Cristina Ferreira (e outras estrelas da estação) a vender obrigações aos pequenos investidores

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião