Revista de imprensa internacional

  • ECO
  • 18 Junho 2019

No dia em que Donald Trump decide enviar mais 1.000 militares para o Médio Oriente, a chefe de Estado de Hong Kong deverá desculpar-se perante os cidadãos quanto à polémica lei da extradição.

O dia arranca com a notícia do envio de mais 1.000 militares norte-americanos para o Médio Oriente, à medida que aumentam as tensões entre os Estados Unidos e o Irão. Outro dos temas quentes vem de Hong Kong, com a hipótese de a chefe do Governo pedir desculpa aos cidadãos, na sequência das manifestações contra a proposta de lei para a extradição de cidadãos locais para serem julgados na China. Nos negócios, enquanto o fundo soberano do Qatar está à procura de novas oportunidades, a Boeing vê estas oportunidades passarem ao lado depois dos acidentes com os aviões 737 MAX.

Reuters

EUA enviam mais 1.000 militares para o Médio Oriente

Donald Trump enviou para o Médio Oriente mais 1.000 militares, numa altura em que aumentam as tensões entre os Estados Unidos e o Irão, na sequência de um ataque a dois petroleiros no Golfo de Omã. De acordo com as declarações do Ministério da Defesa norte-americano, o envio destas tropas destina-se a “garantir a segurança e a saúde dos militares destacados na região e a proteger os interesses nacionais” dos Estados Unidos, enquanto garantiu, ao mesmo tempo, que “os EUA não procuram entrar em guerra com o Irão”. Leia a notícia completa na Reuters (acesso livre, conteúdo em inglês)

South China Morning Post

Chefe de Governo de Hong Kong deverá desculpar-se esta terça-feira

Carrie Lam, chefe do Governo de Hong Kong, vai discursar esta tarde e deverá pedir desculpa aos manifestantes, depois dos protestos contra a proposta de lei para a extradição de cidadãos locais para serem julgados na China. Embora Carrie Lam tenha decidido suspender essa proposta, os protestos mantiveram-se, com a população a exigir a sua demissão e a retirada do projeto. Contudo, mesmo que venha a acontecer este pedido de desculpas, Carrie Lam não deverá ceder a todas as exigências que têm sido feitas. Leia a notícia completa no South China Morning Poste (acesso livre, conteúdo em inglês)

Financial Times

Fundo soberano do Qatar à procura de novos negócios

O presidente do fundo soberano do Qatar anunciou que está à procura de comprar participações diretamente em empresas, com o objetivo de recuperar a sua posição como uma dos investidores mais ativos da região do Golfo. A Qatar Investment Authority pretende investir, sobretudo, na América do Norte e na Ásia, de forma a criar uma unidade que, por sua vez, possa encontrar oportunidades em mercados emergentes como a América Latina, África e Ásia. Leia a notícia completa no Financial Times (acesso condicionado, conteúdo em inglês)

Cinco Días

Boeing com zero encomendas no Paris Air Show

Durante o Paris Show, o principal evento anual do setor de aviação civil, a Boeing não recebeu qualquer pedido de encomenda para as suas aeronaves, uma consequência direta dos acidentes que ocorreram com o 737 Max. Em comparação, a rival Airbus recebeu 123 pedidos. Para a Boeing, estes números não são de admirar, uma vez que a companhia já estava preparada para a “derrota”. A Air Lease vai comprar 100 das aeronaves da Airbus por 11 milhões de dólares (9,8 milhões de euros), enquanto a companhia Virgin deverá pagar 4,1 mil milhões por 14 A330neo. Leia a notícia completa no Cinco Días (acesso livre, conteúdo em espanhol)

Expansión

KPMG paga multa de 45 milhões à SEC por manipular auditorias

A Securities and Exchange Commission (SEC) acusou a KPMG de ter manipulado auditorias após receber informações “roubadas” sobre inspeções que seriam realizadas pelo Conselho de Supervisão de Contabilidade de Empresas Públicas. Além disso, a SEC descobriu que vários auditores da consultora enganaram os exames internos da empresa, manipulando os resultados das provas. Após pagar a multa de 44,5 milhões de euros, a KPMG terá que, entre outras coisas, identificar os profissionais que violaram estas regras. Leia a notícia completa no Expansión (acesso livre, conteúdo em espanhol)

Comentários ({{ total }})

Revista de imprensa internacional

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião