No novo Monopólio, o banqueiro é um assistente de voz

Na nova versão do Monopólio não há dinheiro físico e será um assistente de voz a gerir as propriedades e contas dos jogadores.

“Senhor Monopólio, qual é o balanço da minha conta?” Esta é uma pergunta que pode vir a fazer no novo jogo do Monopólio, que será ativado por voz. Sem as clássicas notas em papel, nesta versão do jogo tem de recorrer a um assistente de voz, que vai tratar das transações dos jogadores.

Uma cartola, acessório de escolha do Sr. Monopólio, mesmo no centro do tabuleiro é o dispositivo com o qual os jogadores vão interagir para navegar pelas propriedades, explica o Engadget (acesso livre/conteúdo em inglês). Não é necessária uma ligação à rede Wi-Fi para comunicar com o banqueiro.

O novo Monopólio terá um assistente de voz para tratar das transações.Monopólio

Para saber quanto dinheiro tem no banco ou comprar uma propriedade basta carregar no botão correspondente ao peão que escolheu e dizer o que quer fazer. Tal como as notas, as cartas de Sorte e da Caixa da Comunidade também desaparecem desta versão, substituídas por botões. Ao pressionar o ícone correspondente, o assistente vai ler o destino inscrito na carta.

Há também outras novidades, como um espaço no tabuleiro que força o jogador a fazer uma troca. Quando os dados o levarem a esta casa, o jogador tem de dizer ao assistente que propriedades quer trocar, uma funcionalidade que é desenhada também para acelerar e dinamizar o jogo.

O jogo da Hasbro já está disponível para pré-encomenda no site da cadeira norte-americana Walmart e vai chegar às prateleiras dos Estados Unidos a 1 de julho. Quanto ao resto do globo ainda não há indicação de quando a nova versão do Monopólio vai estar disponível.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

No novo Monopólio, o banqueiro é um assistente de voz

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião