Acordo entre UE e Mercosul é uma “vitória significativa do multilateralismo”, diz Marcelo

  • ECO e Lusa
  • 28 Junho 2019

Depois de 20 anos de negociações, a União Europeia e o Mercosul fecharam um Acordo de Associação Estratégica, que criará uma das maiores áreas de comércio livre do mundo.

O Presidente da República associou-se esta sexta-feira ao “júbilo da Comissão Europeia e do Governo” pelo histórico acordo de integração entre a União Europeia e o Mercosul, esperando que esta “vitória significativa do multilateralismo” traga “benefícios para as populações”.

Depois de 20 anos de negociações, a União Europeia e o Mercosul fecharam um Acordo de Associação Estratégica, que criará uma das maiores áreas de comércio livre do mundo, um anúncio feito pelo governo argentino, que detém a presidência do Mercosul.

“O Presidente da República associa-se ao júbilo da Comissão Europeia e do Governo, pela conclusão do Acordo com o Mercosul, um passo muito importante para o desenvolvimento das relações económicas entre os Estados Membros da União Europeia e os países da América do Sul membros do Mercosul, nomeadamente o Brasil”, refere a nota publicada na página da Presidência da República.

Na perspetiva de Marcelo Rebelo de Sousa esta é uma “vitória significativa do multilateralismo, que se espera trará benefícios para as populações de uns e de outros”.

Portugal sempre foi “dos mais interessados na concretização deste acordo”

Também o eurodeputado Francisco Assis se congratulou com este acordo. “É uma grande vitória porque isto era um processo que já decorria há 20 anos. Era o processo negocial mais antigo que nós tínhamos na União Europeia”, explicou à agência Lusa o eurodeputado socialista, que integrou a delegação do Parlamento Europeu que participou nestas negociações.

Francisco Assis referiu que se tratou de um processo “muito moroso e difícil”, sobretudo nos últimos cinco anos: “Foram anos de avanços e recuos tremendos. Houve momentos em que parecia que tudo ia ficar resolvido e subitamente havia qualquer problema”, recordou o eurodeputado.

Relativamente às vantagens do acordo alcançado com os países que integram o Mercosul (Brasil, Argentina, Paraguai e Uruguai) o deputado europeu sublinhou que não se trata apenas de um tratado comercial, mas também de associação e colaboração política.

Do ponto de vista do interesse de Portugal, o deputado europeu sublinhou que o nosso país sempre foi “dos mais interessados na concretização deste acordo”, sobretudo pela relação com o Brasil.

“A intensificação das relações entre o Brasil e a União Europeia vai ter uma grande expressão em Portugal. Eu visitei o Brasil nos últimos anos e falei com empresários que diziam que podiam fazer de Portugal o seu entreposto para se lançarem no mercado europeu. Por outro lado, também vai abrir boas perspetivas para as empresas portuguesas”, destacou.

O eurodeputado socialista sublinhou, ainda, que a concretização deste acordo é também uma vitória política para a Europa, uma vez que evita que os países sul-americanos caiam na esfera de influência de outras regiões do mundo. “Se não concretizássemos este acordo estávamos a entregar aqueles países à influência de outras regiões do mundo e é muito importante para a Europa ter uma boa presença na América do Sul”, atestou.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Acordo entre UE e Mercosul é uma “vitória significativa do multilateralismo”, diz Marcelo

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião