Android vai ter funcionalidade igual ao AirDrop do iPhone. Permite partilhar ficheiros sem internet

Chama-se Fast Charge e vai ser a alternativa da Google ao AirDrop presente nos iPhones. É uma aplicação que permite partilhar ficheiros com outros dispositivos que estejam por perto.

A Google deverá lançar uma aplicação de transferência de ficheiros para dispositivos Android que é semelhante ao AirDrop do iPhone. Chama-se Fast Share e servirá para que os utilizadores possam, por exemplo, partilhar imagens ou vídeos com outro telemóvel Android que esteja próximo. Mesmo que nenhum dos aparelhos esteja ligado à internet.

A novidade poderá estar incluída no Android Q, a próxima e a décima versão do sistema operativo móvel, que se espera que a empresa disponibilize em agosto. Alguns utilizadores com acesso ao programa de testes do Android estão a reportar esta novidade, de acordo com o jornal especializado 9to5Google.

O Fast Share deverá substituir o Android Beam, uma funcionalidade presente na maioria dos aparelhos Android, mas que é pouco usada e compreendida pelo público. Com o Fast Share, os utilizadores só têm de escolher para qual dos aparelhos próximos é que pretende enviar um determinado ficheiro e a transferência é automaticamente iniciada.

Imagens do funcionamento do Fast Share, reportadas pela imprensa especializada (9to5Google).Google via 9to5Google

Esta funcionalidade é muito semelhante ao AirDrop, presente nos dispositivos iOS da marca Apple. O AirDrop permite enviar e receber ficheiros de forma simples entre iPhones e iPads, por exemplo.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Android vai ter funcionalidade igual ao AirDrop do iPhone. Permite partilhar ficheiros sem internet

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião