União Europeia quer carros elétricos a fazer barulho falso para alertar peões

A partir desta segunda-feira, os novos veículos elétricos têm de usar emissores de som sempre que circulem a menos de 19 quilómetros por hora.

A partir desta segunda-feira, os novos carros elétricos que circulem nas ruas europeias têm de usar emissores de som que sejam ativados sempre que os veículos circulem a menos de 19 quilómetros por hora. A decisão da União Europeia (UE) foi tomada a pensar, especialmente, nos peões.

De acordo com a BBC (acesso livre, conteúdo em inglês), o Sistema de Alerta Acústico do Veículo (AVAS, na sigla inglesa) destina-se a evitar que os peões e os ciclistas sejam surpreendidos pela aproximação de carros elétricos e híbrido, que são particularmente silenciosos quando circulam a baixas velocidades. No fundo, o que este sistema faz é simular o barulho de um motor de um automóvel tradicional.

A questão da velocidade — apenas a menos de 19 quilómetros por hora é que estes emissores de som se tornam obrigatórios — está a levantar, contudo, algumas críticas. Há quem defenda que o som que os veículos elétricos produzem, mesmo a partir dos 19 quilómetros por hora, continua a ser demasiado baixo.

Para já, esta obrigatoriedade aplica-se a partir de hoje aos novos carros elétricos, mas estende-se a todos os automóveis já em circulação a partir de 2021.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

União Europeia quer carros elétricos a fazer barulho falso para alertar peões

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião