Zurich aproveita férias para estimular seguros

  • ECO Seguros
  • 1 Julho 2019

Férias seguras e descontraídas passam por uma revisão aos contratos de seguro e atenção aos conselhos da seguradora ao deixar a casa e em viagem

A Zurich Portugal lançou campanha “Férias Azuis” que vai durar em Julho e Agosto a dar recomendações ao público em geral sobre comportamentos e passos a dar para se terem “férias seguras e descontraídas”. A campanha valoriza a manutenção de apólices atualizadas e cobertura de riscos associados a viagens.

Artur Lucas, Diretor de Marketing e Comunicação da Zurich Portugal salienta que a companhia pretende incutir a “importância da antecipação e mitigação dos riscos, para que as famílias possam desfrutar de umas férias seguras e revigorantes”.

A campanha assenta num conjunto de dez dicas, que se traduzem em conselhos práticos para quem se vai ausentar do lar ou viajar e que vão desde deixar a casa em segurança até viajar tranquilo com os principais riscos cobertos por seguro.

As dicas para férias descansadas são:

  • Uma boa fechadura e uma cópia da chave. Uma fechadura de segurança de duas trancas permite manter a porta original e conferir maior segurança ao lar. Além disso, deve avisar-se os vizinhos para estarem atentos a qualquer movimento fora do normal. Deixar também uma cópia da chave a um familiar ou vizinho de confiança que possa alterar, na ausência, a posição de estores e cortinas.
  • Fechar a água e o gás e desligar o quadro elétrico. Ter uma atitude preventiva e evitar contratempos como pequenas inundações, fugas de água ou gás ou mesmo curto-circuitos.
  • Manter a aparência exterior de casa habitada. Usar lâmpadas que acendem quando o ambiente está escuro e que apagam mediante a luminosidade do dia e não fechar as persianas na totalidade, dando assim a sensação de movimento em casa.
  • Guardar os objetos de valor num cofre ou local seguro. Colocar os objetos de valor material e sentimental num cofre, no banco, ou em casa de um familiar de confiança.
  • Atualizar o seguro do lar. Certificar-se de que o seguro do lar está atualizado, porque um seguro desatualizado pode corresponder a um não seguro.
  • Perda ou dano em bagagem. Identificar as malas, quer se viaje de avião, comboio ou autocarro. Optar por malas de cores vivas facilmente identificáveis. Fazer um seguro que cubra perdas ou danos de bagagens, bem como o adiantamento de fundos para despesas imediatas.
  • Perda ou roubo de documentos. A perda de documentos é impeditiva de regressar ao país de origem. Participar de imediato às autoridades policiais e contactar o consulado português para se obter um documento provisório. É também aconselhável viajar com uma fotocópia autenticada do cartão de identificação.
  • Não perder de vista o cartão de crédito. Sempre que fizer algum pagamento, não deixe que o levem para longe. Um minuto é suficiente para fazer cópia da banda magnética. No caso de ser vítima de uma fraude, contacte imediatamente o seu banco, que cancelará o cartão e lhe devolverá o dinheiro gasto indevidamente.
  • Revisão e ‘check-up’ ao carro. Se o plano é viajar de carro, uns dias antes de ir de viagem, confirmar que o carro está a funcionar em perfeitas condições e conferir no livro se está na altura de fazer a próxima revisão. Conduzir com segurança para ter uma viagem tranquila.
  • Assistência durante a viagem. Se viajar para um país com o qual não está familiarizado, certifique-se de que o seu seguro cobre o destino de férias e as atividades de lazer planeadas.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Zurich aproveita férias para estimular seguros

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião