Cantanhede em destaque na Bloomberg. E a “culpa” é do canábis

O canábis português cultivado em Cantanhede vai ser a chave da expansão europeia da Tilray. Portugal tem boas condições para o cultivo e está cada vez mais no mapa do setor do canábis medicinal.

Uma das mais promissoras empresas de cultivo de canábis está a pôr a cidade portuguesa de Cantanhede no mapa global do setor. Já se sabia que a Tilray, uma companhia de cultivo de canábis para fins medicinais, tinha instalado um centro de cultivo naquela localidade do distrito de Coimbra. Esta sexta-feira, é a Bloomberg que dá destaque ao tema.

Segundo a agência (acesso condicionado), a Tilray está determinada em tornar a instalação portuguesa no seu principal hub de cultivo, processamento, investigação e exportação para toda a Europa, uma medida que se insere nos planos de expansão internacional da companhia. Para tal, além de já ter obtido uma das certificações mais importantes à luz da Agência Europeia do Medicamento, a empresa definiu uma nova estrutura organizacional específica para o mercado europeu.

Tem sido Brendan Kennedy, o presidente executivo, a dar a cara pelo projeto. Até veio a Portugal na última edição do Web Summit falar, no palco principal, sobre o cultivo de canábis em Cantanhede. Agora, a Tilray acaba de nomear o alemão Arne Wilkens vice-presidente para a expansão do negócio na Europa, gestor que tem no currículo uma passagem pelo board da farmacêutica alemã AiCuris.

O objetivo da empresa é que os EUA e a Europa venham a ser os principais mercados da empresa, numa altura em que o negócio está mais focado no Canadá. E o canábis português terá um papel fundamental neste plano de crescimento. O país tem sido diversas vezes referenciado neste setor emergente pelas boas condições climáticas para o cultivo da planta.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Cantanhede em destaque na Bloomberg. E a “culpa” é do canábis

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião