Crédito ao consumo atinge recorde. Foram 671 milhões em maio

Os bancos e as financeiras concederam 671 milhões de euros em empréstimos para consumo, em maio. Trata-se do valor mais elevado de um histórico que se iniciou em 2013.

Após um mês de quebra, a concessão de crédito ao consumo voltou a ganhar tração atingindo um novo máximo histórico em maio. Naquele mês, os bancos e as financeiras disponibilizaram 671 milhões de euros em empréstimos para consumo, um máximo desde pelo menos 2013, ano em que começa o histórico do Banco de Portugal.

Os dados divulgados pela entidade liderada por Carlos Costa mostram que, em maio, os portugueses se financiaram em 671,1 milhões de euros para consumo. Este montante corresponde a um incremento 19% face aos 563,7 milhões que se tinham registado em abril. E de 0,26% quando comparado com os 669,3 milhões de euros que tinham sido disponibilizados pelos bancos e financeiras em maio do ano passado, e que era até agora o valor mais elevado de um histórico que tem início em janeiro de 2013. Ou seja, há mais de seis anos.

O nível recorde de concessão de empréstimos para consumo registado em maio teve o contributo de todas as finalidades. Mas resultou sobretudo da subida expressiva das categorias de outros créditos pessoais e do financiamento para a compra de carro.

Crédito ao consumo bate recorde de maio de 2018

Fonte: Banco de Portugal

Nos outros créditos pessoais — categoria onde se inserem financiamentos sem finalidade específica como para a aquisição de férias ou a compra de equipamentos para o lar — foram disponibilizados 296,3 milhões de euros, em maio. Trata-se do montante mais elevado desde março de 2018 e que representa um acréscimo de 21,36% face ao verificado em abril e de 5% quando comparado com o mesmo período ano passado.

Já no que respeita aos empréstimos para a aquisição de automóvel, foram disponibilizados 271,6 milhões de euros, em maio, correspondentes a um aumento de 16,35% face a abril. Comparativamente ao mesmo período do ano passado, pelo contrário, ocorreu uma quebra de 6%.

Conjuntamente, estas duas categorias foram responsáveis por 85% do total de empréstimos ao consumo concedidos em maio.

Aos cartões de crédito, linhas de crédito e contas correntes bancárias coube perto de 94 milhões de euros do total de financiamento, uma subida de 20,2% face a abril e de 2,2% quando comparado com maio do ano passado.

Já nos empréstimos para educação, saúde, energias renováveis e locação financeira de equipamentos, a concessão ascendeu a perto de 9,3 milhões de euros. Tratou-se de um aumento de 16,5% face a abril e de 41,5% quando comparado com maio do ano passado.

O valor registado em maio permitiu elevar para perto de três mil milhões de euros — 2.996 milhões de euros — o total do crédito ao consumo disponibilizado pelos bancos e pelas financeiras no acumulado do ano. Quando comparado com o mesmo período de 2018, representa ainda assim uma quebra de 2,02%.

(Notícia atualizada às 12h38 com mais informação)

Comentários ({{ total }})

Crédito ao consumo atinge recorde. Foram 671 milhões em maio

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião