Há mais 47 mil imóveis de luxo a pagar AIMI. Já são 487 mil

  • ECO
  • 23 Julho 2019

No ano passado, o número de prédios abrangidos pelo Adicional do IMI subiu atingiu os 486 845, ou seja, mais 47 mil imóveis de valor patrimonial superior a 600 mil euros a pagar este imposto especial.

Em 2018, o número de prédios abrangidos pelo Adicional do IMI atingiu os 486.845, mais 10% do que o registado em 2017, ou seja, uma subida de 47.134 imóveis abrangidos por este adicional que incide sobre imóveis de valor patrimonial superior a 600 mil euros, escreve esta terça-feira o Dinheiro Vivo (acesso livre).

Apesar do aumento do número de prédios com valor patrimonial superior a 600 mil euros, estes continuam a corresponder a uma pequena percentagem de todos os imóveis sujeitos a tributação, já que de acordo com dados das Finanças citados pelo Dinheiro Vivo, os imóveis de valor acima de 600 mil euros equivalem a 7% dos 6,8 milhões de imóveis que no ano passado pagaram IMI.

Segundo dados da Autoridade Tributária, mais de 12 mil particulares detinham 161 mil destes imóveis de luxo, ao passo que mais de 59 mil empresas detinham a grande maioria: 325 822 imóveis.

Com mais 47 mil prédios sujeitos ao AIMI, a receita deste imposto acabou por crescer oito milhões de euros em 2018, atingindo os 139,6 milhões de euros. Este valor ainda não contabiliza a receita relativa aos verbetes — contribuintes ainda sem os imóveis associados ao NIF nas cadernetas prediais –, e representa menos de 10% da receita total cobrada através do IMI, que superou os 1,5 mil milhões de euros no ano passado.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Há mais 47 mil imóveis de luxo a pagar AIMI. Já são 487 mil

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião