90% das insolvências não pagam a credores

  • ECO
  • 11 Agosto 2019

De janeiro a março foram decretadas 2.757 insolvências nos tribunais de primeira instância. Houve uma redução homóloga de 181 processos. Mas há um aumento de particulares insolventes.

A quase totalidade dos crédito reconhecidos pelos tribunais em processos de insolvência ficam por pagar, revela o último Destaque Estatístico Trimestral da Direção-Geral da Política de Justiça citado pelo Correio da Manhã (acesso pago)

A taxa de recuperação de créditos, ou seja, a proporção do montante de créditos pagos face ao montante de créditos reconhecidos, cifra-se em 9,4%”, de acordo com o documento que tem dados referentes ao primeiro trimestre de 2019. Os restantes 90,4% não tiveram um “pagamento efetivo”, mostram os dados.

Nos três primeiros meses do ano foram decretadas 2.757 insolvências nos tribunais de primeira instância, ou seja, uma redução de 181 processos face ao mesmo período do ano passado. No entanto, há um aumento do número de particulares que pedem a insolvência pessoal. Pesam já 80% do total.

Ao nível das empresas são as que operam ao nível do comércio por grosso, retalho e reparação de veículos que representam a maioria das insolvências.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

90% das insolvências não pagam a credores

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião