Centeno responde à polémica das ambulâncias do INEM com 11 números

O Ministério das Finanças emitiu um comunicado a reagir à notícia de que terá travado a compra de 75 ambulâncias para o INEM. Mário Centeno responde com 11 números.

Depois de notícias darem conta de que o INEM não tinha recebido autorização do Ministério das Finanças para renovar a frota de ambulâncias, Mário Centeno responde com 11 números para demonstrar que “o Governo tem vindo a reforçar os meios e o investimento na área da Saúde, com responsabilidade e rigor nas contas públicas”.

Em causa está a aquisição de 75 novas viaturas para a renovação da frota de ambulâncias afetas aos corpos de bombeiros e a delegações da Cruz Vermelha, que compõem os postos de emergência médica. Depois de conhecida a situação, os Ministérios da Saúde e das Finanças adiantaram que estão a trabalhar para desbloquear esta compra.

Apesar dessas garantias, o Ministério das Finanças enviou um comunicado às redações a destacar, em várias áreas, 11 números com o objetivo de mostrar que o Governo libertou mais dinheiro para o INEM. Na frente orçamental, as Finanças salientam um “aumento do orçamento em 30% ao longo da legislatura, representando um reforço de 90% na média anual do investimento”.

Recordam que em 2018 “o orçamento final ficou 19% acima do que foi aprovado como dotação inicial na aprovação do OE, enquanto no orçamento executado, em 2018, houve um aumento de 29% face a 2015. Já neste ano, a dotação inicial do orçamento cresce 12% relativamente à dotação inicial de 2018, correspondendo a mais 11,8 milhões de euros.

O Ministério liderado por Centeno adianta também que se prevê um investimento no valor de 4,295 milhões de euros, “o que representa um aumento de 77% face à execução de 2018″. No que diz respeito aos recursos humanos, a tutela aponta um crescimento de 10% do quadro de pessoal desde 2015, “sendo que já este ano foram autorizados mais 150 profissionais”.

E, finalmente, no tópico que deu origem a esta polémica, sublinha um “aumento dos meios de emergência de 7%, onde se inclui um conjunto de diferentes tipologias de ambulâncias, entre 2015 e 2018″. Assim, “a aquisição de ambulâncias em 2018 correspondeu a um reforço orçamental de cerca de cinco milhões de euros“.

Já a compra neste ano “corresponderá igualmente a um reforço extraordinário do orçamento inicial que não previa este investimento, reforço este que está neste momento a ser analisado”, conclui o Ministério de Centeno.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Centeno responde à polémica das ambulâncias do INEM com 11 números

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião