Como é que Barcelona responde à falta de casas? Com contentores

A autarquia de Barcelona vai gastar 5,3 milhões de euros em contentores que serão transformados em apartamentos de emergência. Primeiros imóveis deverão ser entregues no final de outubro.

Assim como Lisboa, também Barcelona já começou a pensar em soluções para dar resposta à falta de casas. No centro da cidade, a poucos passos de Las Ramblas, a autarquia está a instalar os primeiros contentores com 45 metros quadrados. Estes são uma resposta de emergência para quem foi despejado ou expulso do bairro onde estava devido à gentrificação.

É na Carrer Nou de Sant Francesc, uma rua estreita no bairro de Ciutat Vella, perpendicular à famosa Las Ramblas, que a autarquia de Barcelona está a instalar 12 apartamentos — quatro duplos e oito individuais –, sob a forma de contentores. A ideia foi rejeitada inicialmente, devido aos receios de descaracterização da cidade, mas com as mais de 1.000 pessoas inscritas na lista para receber casas de emergência, a aprovação acabou por chegar.

Esquema da primeira fase do projeto: 12 apartamentos com um investimento de 940 mil euros.Ajuntament de Barcelona

Envolvida no projeto está a Aprop, juntamente com outras empresas das quais faz parte o arquiteto David Suárez que, citado pelo The Guardian (conteúdo em inglês), explica que os contentores terão as mesmas características de uma habitação normal, isolamento térmico e acústico e piso aquecido. Uma vez terminados os trabalhos, nem vão parecer contentores.

“Estas casas de contentores são construídas sob os mais altos padrões que existem no mercado de arrendamento em Barcelona”, diz Jaime Palomera, porta-voz do sindicato dos inquilinos da cidade, acrescentando que “a ideia de que os pobres estão a ser obrigados a viver em latas de sardinha não faz qualquer sentido”.

Para concluir todo esta primeira fase do processo, a autarquia vai gastar 940 mil euros. “Nós podemos entregar este tipo de apartamento no espaço de um ano, enquanto um edifício tradicional precisaria de seis a oito anos para estar concluído”, diz Tonet Font, do departamento de inovação social de Barcelona. Os trabalhos deverão ficar concluídos até ao final de outubro.

Contudo, esta é apenas a primeira fase do processo, já que a autarquia tem prevista a instalação de 92 apartamentos, num investimento total de 5,3 milhões de euros, refere o site do Ajuntament de Barcelona. Numa segunda fase serão mais 40 contentores, na Carrer de Mossèn Amadeu Oller, e numa terceira fase outros 40, na Carrer de Bolívia.

David Suárez explica que a principal razão deste projeto tem a ver com a gentrificação, que está a expulsar do centro da cidade todos os cidadãos, à exceção dos mais ricos, à medida que aumenta a especulação imobiliária, com rendas elevadas, e o número de apartamentos turísticos.

Comentários ({{ total }})

Como é que Barcelona responde à falta de casas? Com contentores

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião