Wall Street recupera fôlego com amenizar das tensões comerciais

A China decidiu retirar algumas das tarifas adicionais que tinha aplicado sobre produtos norte-americanos. Os investidores viram isto como um sinal positivo em antecipação das negociações.

Sinais de um amenizar das tensões comerciais entre os Estados Unidos e a China animaram os investidores em Wall Street. Os principais índices de referência avançam com subidas modestas no arranque deste dia, depois de terem terminado a última sessão na linha de água. A Apple prolonga os ganhos, depois de ter apresentado as novidades para a temporada, nomeadamente os novos iPhones.

A China decidiu remover as tarifas adicionais aplicadas sobre alguns dos produtos norte-americanos que estavam sujeitos a estas. Este gesto é interpretado como um sinal de “boa-fé” em antecipação das conversações entre os Estados Unidos e a China, que vão recomeçar no próximo mês.

Perante estes desenvolvimentos, o S&P 500 valoriza 0,04% para os 2.980,65 pontos, enquanto o industrial Dow Jones sobe 0,06% para os 26.926,51 pontos. A fabricante de aviões Boeing, uma das cotadas mais expostas ao comércio com a China, valoriza 0,37% para os 370,87 dólares.

O tecnológico Nasdaq avança também 0,06%, para os 8.089,34 pontos. Entre as empresas do setor tecnológico destaca-se o desempenho da Apple, que apresentou ontem três novos iPhones, bem como a data de lançamento para o serviço de streaming. Os títulos da marca da maçã avançam 1,46% para os 219,86 dólares.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Wall Street recupera fôlego com amenizar das tensões comerciais

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião