Petróleo afunda mais de 5% com retoma total da produção saudita em três semanas

Alto responsável saudita referiu que a capacidade de produção de petróleo poderá estar totalmente restabelecida dentro de três semanas. Barril corrige após disparo de 20% na última sessão.

Os preços do petróleo estão em queda acentuada esta terça-feira, depois de um alto responsável da Arábia Saudita ter adiantado que a produção de barris vai voltar à normalidade dentro de semanas, mais rapidamente do que era expectável, isto após os ataques com drones ter cortado para metade a capacidade produtiva saudita.

Neste cenário, após um disparo de 20% esta segunda-feira, a matéria-prima está agora a corrigir de forma expressiva. O Brent, que serve de referência para as importações nacionais, desvaloriza 5,75% para 65,05 dólares, depois de ontem ter superado os 70 dólares por barril. Em Nova Iorque, o preço do barril de crude cai 5,07% para 59,71 dólares.

Vários ataques a refinarias sauditas no fim de semana deixou os mercados em sobressalto porque estaria comprometido o equilíbrio entre a oferta e a procura, razão pela qual os preços do barril chegaram ontem a registar a maior valorização desde a invasão do Kuwait.

Entretanto, um alto responsável saudita revelou à agência Reuters que a capacidade de produção de petróleo poderá estar totalmente recuperada dentro de duas ou três semanas e que o reino estava próximo de restaurar 70% dos 5,7 milhões de barris por dia que perdeu com os ataques.

Para esta terça-feira está ainda agendada uma conferência de imprensa com o ministro da Energia saudita, o príncipe Abdulaziz bin Salman, que fará um ponto de situação relativamente às perspetivas de retoma da produção nas refinarias atacadas.

“Todos os olhos vão estar postos na conferência de imprensa saudita. Precisamos de uma avaliação apropriada dos danos, precisamos de ver um plano de recuperação”, disse Samuel Ciszuk, da ELS Analysis, citado pela Reuters.

Comentários ({{ total }})

Petróleo afunda mais de 5% com retoma total da produção saudita em três semanas

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião