Politécnico de Leiria cria primeiro curso de gestão de recursos minerais. Terá 100% de empregabilidade

Politécnico de Leiria lança o primeiro curso técnico superior profissional na área da gestão e tecnologias avançadas em recursos minerais. Dura dois anos e garante 100% de empregabilidade.

O Instituto Politécnico de Leiria lançou este ano letivo o primeiro curso técnico superior profissional na área da gestão e tecnologias avançadas em recursos minerais. As candidaturas para o ano letivo 2019/2020 já estão abertas e podem ser submetidas online. Devido à escassa oferta de profissionais neste setor, o curso garante 100% de empregabilidade.

O curso tem a duração de dois anos e é resultado da colaboração entre empresas de desenvolvimento de tecnologia para este setor, nomeadamente a CEI/ZIPOR e a Academia dos Recursos Minerais (Assigrama).

“É nossa convicção que esta colaboração concentra um potencial de 100% de empregabilidade para os estudantes, que completem o curso, dada a necessidade premente destes profissionais por parte das empresas do setor da pedra”, garante Miguel Goulão, vice-presidente da Associação Portuguesa da Indústria de Mármores, Granitos e Ramos Afins.

O objetivo do novo curso é “formar técnicos capazes de gerir operações industriais no setor dos recursos minerais, nomeadamente a operação de equipamentos especiais, do planeamento e execução de fabrico, tendo em vista a otimização do processo produtivo nestas indústrias, a eficiência, a produção colaborativa, a relação cliente-fornecedor, a personalização de produtos e a otimização e sustentabilidade de produtos e processos”, lê-se no portal do Instituto Politécnico de Leiria, onde também é possível consultar o plano curricular.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Politécnico de Leiria cria primeiro curso de gestão de recursos minerais. Terá 100% de empregabilidade

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião