Dos clássicos aos desportivos, de 1911 a 2010. Maior coleção de carros portuguesa vai hoje a leilão

Entre os mais de 130 automóveis da coleção de Ricardo Sáragga, o mais valioso é o Bentley de 1931 e o mais barato é o português Sado 550. Há 790 mil euros a separá-los.

São mais de 130 automóveis, dos clássicos aos desportivos, com datas que vão desde 1911 a 2010. Assim é a maior coleção de carros portuguesa, avaliada em dezenas de milhões de euros, que vai este sábado a leilão na Comporta. Com um valor de 800 mil euros, a estrela é o Bentley de 1931.

A coleção, que se encontra em Alcácer do Sal, reúne muitos dos veículos adquiridos em mais de 30 anos por Ricardo Sáragga, que pretende desfazer-se destes automóveis para poder concentrar-se num lote mais reduzido. “Tenho prazer em utilizar os meus carros, pelo que quero concentrar-me num grupo mais pequeno”, disse, em julho, o colecionador, acrescentando que a decisão, contudo, “não foi fácil”.

De Ferraris a Mercedes, passando pelos Porsches ou pelos Bentleys, os preços dos automóveis começam nos dez mil euros e conseguem chegar aos 800 mil euros. O carro mais caro a ir a leilão é o Bentley 8-Litre Tourer, modelo dos quais foram produzidas apenas 100 unidades.

Em 1930, quando foi apresentado, em Londres, este automóvel impressionou os jornalistas especializados da época, com o The Sphere a descrever o novo 8-Litre como um “dos melhores exemplos de sempre da qualidade da engenharia automóvel britânica”.

Um dos veículos mais baratos do leilão é um produto nacional: o Sado 550. Este automóvel, de 1983, é um dos cerca de 500 que foram produzidos em Setúbal. Uma espécie de “microcarro”, que “era perfeito para as ruas estreitas de Portugal”, lê-se no catálogo que agrega os carros leiloados. O valor fixa-se nos dez mil euros.

A par do português — precisamente com o mesmo valor — está o Mini 1000 de 1973 e o Fiat Panda Cross 4×4 de 2007.

O português Sado 550 de 1983.

O leilão conta, ainda, com o primeiro Mercedes produzido com suspensão independente nas quatro rodas — o Mercedes-Benz 170 Cabriolet C, de 1934 –, o Alpine-Renault inspirado nos ralis e alguns exemplares únicos, quer pela sua cor, quer por alguns detalhes que possuem.

Veja aqui alguns dos automóveis que vão este sábado a leilão:

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Dos clássicos aos desportivos, de 1911 a 2010. Maior coleção de carros portuguesa vai hoje a leilão

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião