Vistos gold: Investimento sobe 80,6% em agosto para 82,5 milhões de euros

  • Lusa
  • 21 Setembro 2019

Nos primeiros oito meses do ano, o investimento captado totalizou 553 milhões de euros, ligeiramente abaixo dos 555 milhões de euros registados um ano antes.

O investimento captado através dos vistos ‘gold’ subiu 80,6% em agosto, face a igual período de 2018, para 82,5 milhões de euros, segundo contas feitas pela Lusa com base nos dados estatísticos do SEF. Em agosto, o investimento total proveniente de Autorizações de Residência para Atividade de Investimento (ARI) atingiu 82.536.421,03 euros, uma subida de 80,6% face ao registado em igual mês do ano passado (45,6 milhões de euros).

Relativamente a julho (98,2 milhões de euros), o investimento captado por via deste instrumento recuou 16%. Do total do investimento captado em agosto, 76 milhões de euros correspondem à atribuição de vistos ‘gold’ por via do requisito de aquisição de bens imóveis, enquanto os restantes 6,4 milhões de euros resultam da concessão de ARI mediante o critério de transferência de capitais.

No mês passado foram atribuídos 147 vistos, dos quais 140 resultantes da compra de bens imóveis, seis por via da transferência de capitais e um pela criação de, pelo menos, 10 postos de trabalho. Do total de vistos concedidos com a compra de imóveis, 40 corresponderam à aquisição tendo em vista a reabilitação urbana.

Nos primeiros oito meses do ano, o investimento captado totalizou 553 milhões de euros, ligeiramente abaixo dos 555 milhões de euros registados um ano antes.

Em quase sete anos – o programa ARI foi lançado em outubro de 2012 –, o investimento acumulado até agosto totalizou 4.802.871.680,23 euros, com a aquisição de imóveis a somar 4.337.808.884,78 euros. Os vistos “dourados” atribuídos por via da transferência de capital ascendem a 458.567.392,61 euros.

Desde a criação deste instrumento, que visa a captação de investimento, foram atribuídos 7.885 ARI: dois em 2012, 494 em 2013, 1.526 em 2014, 766 em 2015, 1.414 em 2016, 1.351 em 2017, 1.409 em 2018 e 923 em 2019.

Até agosto último, em termos acumulados, foram atribuídos 7.431 vistos ‘gold’ por via da compra de imóveis, dos quais 397 tendo em vista a reabilitação urbana. Por requisito da transferência de capital, os vistos concedidos totalizam 437 e foram atribuídos 17 por via da criação de, pelo menos, 10 postos de trabalho.

Por nacionalidades, a China lidera a atribuição de vistos (4.369), seguida do Brasil (817), Turquia (363), África do Sul (311) e Rússia (279). Desde o início do programa foram atribuídas 13.364 autorizações de residência a familiares reagrupados, das quais 1.549 este ano.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Vistos gold: Investimento sobe 80,6% em agosto para 82,5 milhões de euros

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião