Costa elogia “resultado histórico” para o PS na Madeira

"Cada eleição é uma eleição. Daqui a 15 dias veremos quais são os resultados para a Assembleia da República", disse António Costa sobre o facto de o PS não ter conseguido superar o PSD na Madeira.

Os socialistas obtiveram “um resultado verdadeiramente histórico para o PS, o melhor de sempre”, ficando a cinco mil votos do triunfo, disse este domingo António Costa, numa reação às eleições regionais da Madeira. Mas recusou retirar consequências para as eleições legislativas de 6 de outubro, tendo em conta que foi o PSD que venceu o escrutínio com 39,42% dos votos.

“Cada eleição é uma eleição. Quando há poucos meses houve eleições para o Parlamento Europeu, os resultados também foram distintos destes resultados e daqui a 15 dias veremos quais são os resultados para a Assembleia da República”, disse, em declarações transmitidas pela RTP3, quando questionado sobre o desejo que tinha já manifestado de o PS vencer os três atos eleitorais que estavam previstos para este ano.

António Costa rejeitou comentar a possibilidade de se vir a formar uma espécie de geringonça na Madeira, através de um acordo do PS com os restantes partidos da oposição — apesar de PSD e CDS já estarem em conversas para formar um governo de coligação como confirmou aos jornalistas Miguel Albuquerque — porque isso depende da autonomia da região. Mas deixou a garantia de que “o Governo trabalha com qualquer governo regional qualquer que seja a sua formação”.

Quando questionado pelos jornalistas o que diria a Paulo Cafôfo se este lhe pedisse ajuda para negociar com o CDS a formação de um governo na região disse estar convicto de que isso não irá acontecer, porque o cabeça de lista do PS para a Madeira “é capaz de fazer a missão que lhe compete”, já que é “um grande político” que “contribuiu para este resultado histórico que o partido teve” — 35,7% dos votos, que significou a eleições de 19 deputados, mais 14 do que nas eleições de 2015.

António Costa disse ainda que teve já tinha felicitado o presidente do PSD, Rui Rio, e o presidente do PSD/Madeira, Miguel Albuquerque, pelo resultado obtido.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Costa elogia “resultado histórico” para o PS na Madeira

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião