5G: Dense Air pretende fazer “investimento significativo” em Portugal

  • Lusa
  • 17 Outubro 2019

O grupo que opera na área do 5G pretende fazer um "investimento significativo" em Portugal, na ordem dos "nove dígitos", mas escusou-se a avançar valores.

O presidente executivo da Dense Air, Paul Senior, disse esta quinta-feira à Lusa que o grupo pretende fazer um “investimento significativo” em Portugal, na ordem dos “nove dígitos”, mas escusou-se a avançar valores.

“Não queremos especular um número, o nosso plano [de investimento] é provavelmente de nove dígitos”, afirmou à Lusa, quando questionado sobre o montante que pretende investir em Portugal.

“Mas depende de muitos fatores”, salientou, apontando que será “um investimento significativo” no mercado português.

A Dense Air Portugal, operadora que fornece serviços de extensão e densificação de redes móveis, tem uma licença da faixa 3,5 Gigahertz (GHz), obtida em 2010, a qual é necessária para o desenvolvimento da quinta geração móvel (5G).

O grupo Dense Air, que detém a subsidiária portuguesa, é detido pelo Softbank, multinacional nipónica.

“O primeiro objetivo é que a Anacom [Autoridade Nacional de Comunicações] reforme a faixa. Assim que estiver claro começaremos de imediato” a construir a equipa e a implementar as soluções, afirmou.

A faixa de 3,5GHz terá de ser reconfigurada, de forma a poder alocar os operadores.

O presidente executivo da Dense Air garantiu que a empresa vai reforçar a equipa em Portugal, adiantando ainda que o seu modelo de negócio assenta também muito na subcontratação [‘outsourcing’].

“Temos um grande negócio”, afirmou, salientando estar otimista quando ao desenvolvimento do 5G em Portugal.

Considerou que há um atraso no 5G em Portugal, mas que o país não está em pior lugar, mas antes “no meio”.

Queremos começar o mais rapidamente possível, mas outras coisas têm de acontecer primeiro”, concluiu.

O modelo de negócio da Dense Air Portugal assenta na cobertura de rede dentro de edifícios, nomeadamente para o 5G.

Os clientes da Dense Air Portugal serão os operadores de telecomunicações.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

5G: Dense Air pretende fazer “investimento significativo” em Portugal

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião