Brexit: Programa legislativo do Governo britânico aprovado

  • Lusa
  • 24 Outubro 2019

Propostas dos trabalhistas a exigir mais medidas para combater a crise da habitação e as alterações climáticas e do SNP favorável à liberdade de circulação entre o Reino Unido e a UE foram rejeitadas.

O Parlamento britânico aprovou esta quinta-feira o programa legislativo do governo do primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, rejeitando várias propostas de alteração da oposição, incluindo para manter a liberdade de circulação com a União Europeia.

O programa, designado por “Discurso da Rainha” porque foi a monarca britânica, Isabel II, que leu o texto a 14 de outubro, foi aprovado por 310 votos a favor e 294 votos contra.

Propostas do partido Trabalhista a exigir mais medidas para combater a crise da habitação e para combater as alterações climáticas e do Partido Nacionalista Escocês (SNP) favorável à liberdade de circulação entre o Reino Unido e UE, ao aumento dos apoios sociais e a políticas ambientais mais ambiciosas foram rejeitadas.

O Governo não tem maioria na Câmara dos Comuns, mas continua a beneficiar do apoio de deputados independentes que foram expulsos do grupo parlamentar conservador por votarem numa lei para impedir um ‘Brexit’ sem acordo.

O Discurso da Rainha é escrito pelo Governo e representa o programa legislativo para os meses seguintes. A votação é um teste à confiança dos deputados no Governo e um chumbo refletiria a ausência de uma maioria parlamentar.

O Discurso da Rainha deste Governo enumerou 26 propostas de lei que o governo incluindo sete relacionadas com o ‘Brexit’.

A última vez que um Discurso da Rainha foi chumbado foi em 1924, levando o então primeiro-ministro, Stanley Baldwin, a renunciar ao cargo, permitindo à oposição formar governo.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Brexit: Programa legislativo do Governo britânico aprovado

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião