Brexit. Novo acordo pode fazer economia britânica perder 81 mil milhões de euros numa década

  • Lusa
  • 30 Outubro 2019

Se for aplicado o acordo para o Brexit negociado pelo governo de Boris Johnson, a economia do Reino Unido poderá perder mais de 80 mil milhões de euros até 2029.

A economia do Reino Unido poderá perder 70 mil milhões de libras (81 mil milhões de euros) até 2029 se for aplicado o acordo para o ‘Brexit’ negociado pelo governo de Boris Johnson, estimou um estudo publicado esta quarta-feira.

Segundo o estudo, do Instituto Nacional Pesquisa Económica e Social (NIESR), o Produto Interno Bruto (PIB) britânico pode contrair em 3,5% na próxima década porque, embora o acordo elimine o risco de uma saída desordenada, “a possibilidade de um relacionamento comercial mais estreito com a UE seria eliminada”.

O estudo, produzido pelo mais antigo instituto britânico independente dedicado à atividade económica, alega que as barreiras aduaneiras e regulamentares “vão dificultar o comércio de bens e serviços com o continente, deixando todas as regiões do Reino Unido em pior situação do que ficaria se o Reino Unido permanecesse na UE”.

O Ministério da Economia respondeu, questionando as previsões do NIESR. “O nosso objetivo é negociar um acordo abrangente de comércio livre com a União Europeia mais ambicioso do que o acordo normal de comércio livre no qual o NIESR baseou as suas conclusões”, disse um porta-voz.

Até agora, o governo britânico recusou tornar públicos os seus cálculos sobre o impacto económico que o novo acordo de saída da União Europeia negociado por Boris Johnson em meados de outubro poderá ter na economia.

O Reino Unido aceitou esta semana um novo prolongamento do processo para o ‘Brexit’, que estava previsto terminar na quinta-feira, mas que agora pode ser concluído até 31 de janeiro.

Para desbloquear o impasse político, o parlamento britânico aprovou na terça-feira eleições legislativas antecipadas a 12 de dezembro, tendo o governo suspendido a legislação relacionada com o acordo para depois do escrutínio.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Brexit. Novo acordo pode fazer economia britânica perder 81 mil milhões de euros numa década

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião