Fiat Chrysler confirma negociações com a PSA. Ações disparam 9% na bolsa de Milão

Conversações para uma potencial fusão foram confirmadas pelas duas produtoras automóveis. Governo italiano diz que está a acompanhar, mas não irá pronunciar-se sobre uma operação de mercado.

A Fiat Chrysler está a negociar uma fusão com a PSA, dona da Peugeot, depois de ter falhado um negócio semelhante com a Renault este ano. A notícia foi avançada esta terça-feira e agora confirmada pela própria empresa. O negócio que poderá dar origem a um gigante transatlântico no setor da produção automóvel já está a dar ganhos à empresa.

A empresa de automóveis Fiat Chrysler, de capital italiano e norte-americano, dispara 8,6% para 12,75 euros por ação, na bolsa de Milão. Ainda antes de ter confirmado “contactos” com o grupo francês PSA para criar um novo grupo avaliado em 50 mil milhões de dólares, já tinha valorizado 7,5% na última sessão, em Wall Street.

Em comunicado citado pela Reuters, a Fiat disse que “não tem mais nada a acrescentar” relativamente às conversações. Num segundo comunicado, também a dona da Peugeot confirmou as negociações para a fusão. Na bolsa de Paris, a PSA valoriza 6% para 26,36 euros.

O ministro italiano da Indústria também já se pronunciou sobre o negócio, dizendo que o Governo está a acompanhar, mas não irá dar nenhum parecer sobre uma operação de mercado.

Segundo as informações avançadas terça-feira pelo The Wall Street Journal, o método que está a ser estudado passa por uma fusão em que os atuais acionistas das duas empresas recebem a mesma quantidade de ações na nova fabricante automóvel. Mas outras opções poderão também ser consideradas, uma vez que as conversações entre as duas companhias ainda estão em curso.

John Elkann, atual chairman da Fiat Chrysler, poderá assumir o mesmo cargo na nova empresa. Em simultâneo, o atual líder executivo da PSA, o português Carlos Tavares, pode assumir a presidência executiva desta nova empresa.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Fiat Chrysler confirma negociações com a PSA. Ações disparam 9% na bolsa de Milão

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião