Vasco da Gama reforça serviços. Espera 300 mil pessoas durante o Web Summit

Centro comercial no Parque das Nações espera aumento de visitantes em cerca de 20% durante os quatro dias de evento. Web Summit arranca a 4 de novembro.

Nem só de FIL vive o Web Summit. O centro comercial Vasco da Gama, no Parque das Nações, vai reforçar os serviços para acolher um aumento de cerca de 20% de visitantes durante os quatro dias de evento, que decorre entre 4 e 7 de novembro. O centro comercial espera ainda um incremento das vendas de entre 6 a 8% durante os quatro dias da maior conferência de tecnologia e empreendedorismo do mundo, adiantou fonte oficial ao ECO.

A apenas 300 metros do “palco” do Web Summit, o centro Vasco da Gama vai lançar um novo serviço “Sala de bagagens” que considera uma “mais-valia para os participantes do Web Summit que se deslocam de transportes públicos para evento”. Além desta novidade, o centro comercial oferece ainda rede wi-fi gratuita, um serviço de empréstimo de powerbanks e carregadores de baterias em várias localizações do centro.

O centro comercial anunciou ainda que reforçará, nos quatro dias do evento, as equipas de limpeza e de vigilância, de forma a que o acréscimo de visitantes “não tenha impacto significativo na operação do centro e para ajustar às necessidades de tratamento ambiental dos resíduos sólidos”.

Durante os quatro dias de evento, são esperadas mais de 70 mil pessoas no Web Summit que cumpre neste ano a 4.ª edição em Lisboa, desde que, em 2015, saiu de Dublin, sua cidade-Natal.

Também a pensar nos participantes estrangeiros que visitam o evento e a cidade, o centro comercial preparou uma campanha de comunicação que estará presente no digital e em mupis, colocados na gare do Oriente. “Com o mote Supporting Web Summit attendees – It’s a pleasure, a campanha realça as diferentes ofertas e serviços que estão disponíveis para os visitantes, como a grande variedade de lojas, restauração, serviços, WI-FI ou a esplanada para dias de sol”, esclarece a mesma fonte.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Vasco da Gama reforça serviços. Espera 300 mil pessoas durante o Web Summit

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião