Revista de imprensa internacional

A Tesla escolheu Berlim para abrir a sua primeira fábrica na Europa. O primeiro-ministro francês defende a fusão de bancos europeus, por forma a criar instituições maiores na União Europeia.

A Tesla, fabricante de carros elétricos norte-americana, vai abrir a primeira fábrica na Europa. Berlim, na Alemanha, foi a cidade escolhida e a empresa espera começar a produção em 2021. Na política, o primeiro-ministro francês apoia a fusão de bancos europeus, por forma a criar atores globais de tamanho crítico” nas finanças europeias. Na Bolívia, a Jeanine Áñez autoproclamou-se presidente interina do país. Destaque ainda para a Alibaba, que recebeu “luz verde” para entrar na bolsa de Hong Kong.

Financial Times

Tesla escolhe Berlim para a primeira Fábrica na Europa

A fabricante de carros elétricos vai abrir a sua quarta fábrica e desta vez na Europa. Depois de Nevada, Xangai e Nova Iorque, a empresa vai construir uma fábrica em Berlim, na Alemanha. A notícia foi dada pelo CEO, Elon Musk, que acrescentou que a empresa quer abrir um centro de engenharia e de design na capital alemã. “Também vamos criar um centro de engenheira e desenho em Berlim, porque Berlim tem a melhor arte do mundo”, disse o presidente executivo, numa cerimónia de entrega de prémios organizada pelo tabloide alemão Bild, na qual recebeu o prémio “Volante de Ouro”. Fontes próximas do processo referiram ao Financial Times que a localização da fábrica será perto do aeroporto e a produção deverá arrancar em 2021.

Leia a notícia completa no Financial Times (acesso condicionado, conteúdo em inglês).

Bloomberg

França apoia fusões de bancos europeus

O primeiro-ministro francês, Edouard Philippe, disse esta terça-feira, numa entrevista, que a fusão de bancos permite “criar atores globais de tamanho crítico” nas finanças europeias, e que, portanto, seria uma “coisa boa”. A ideia seria criar instituições maiores para que possam competir com outros bancos de maior dimensão. “Tudo o que dê sentido à União Europeia — esse mercado excecional de 500 milhões de consumidores – seja em termos de comércio, normas e finanças, é bem-vindo”, disse o chefe de Governo francês, demonstrado apoio ao projeto do ministro das Finanças alemão, Olaf Scholz, em criar uma União Bancária para facilitar os negócios entre os países europeus.

Leia a notícia completa na Bloomberg (acesso condicionado, conteúdo em inglês).

South China Morning Post

Alibaba recebe luz para entrar na bolsa de Hong Kong

O grupo chinês de vendas online vai entrar em mais um mercado de capitais, depois de ter entrado em 2014 na Bolsa de Nova Iorque, após a direção da bolsa de valores ter aprovado o pedido do Alibaba. O South China Morning Post, propriedade do Alibaba, assegura que nesta operação serão vendidos até 117 mil milhões de dólares de Hong Kong (cerca de mil 13,61 milhões de euros) em novas ações. O grupo tem uma semana para atrair investidores, já que na próxima quarta-feira, dia 20 de novembro, será fixado o preço de cada ação. Cinco dias depois, esses títulos vão começar a cotar na praça de Hong Kong.

Leia a notícia completa no South China Morning Post (acesso livre, conteúdo em inglês).

G1

Jeanine Áñez autoproclama-se como presidente interina da Bolívia

A senadora Jeanine Áñez autoproclamou-se esta terça-feira presidente interina do país no Congresso da Bolivia. A decisão foi tomada apesar de ter reunido os votos suficientes numa sessão realizada no Congresso e que foi boicotada por deputados do partido do antigo presidente, Evo Morales. Segundo a lei, em caso de renúncia do presidente, a presidência seria atribuída ao vice-presidente (que também resignou), por isso, Áñez era a terceira na lista de sucessão. Evo Morales já reagiu à autoproclamação e acusa a senadora de violar a constituição boliviana, bem como as normas internas da Assembleia Legislativa. É “consumado sob o sangue de irmãos assassinados por forças policiais e militares utilizadas no golpe”, acrescenta o ex-presidente, no Twitter.

Leia a notícia completa no G1 (acesso livre, conteúdo em português).

The Guardian

Inundações em Veneza. Águas atingem nível mais alto dos últimos 50 anos

A cidade italiana de Veneza ficou inundada devido à maior maré alta dos últimos 50 anos. O nível da água atingiu 1,87 metros. Muitas outras praças da cidade ficaram inundadas, incluindo a Praça de São Marcos. Os serviços de emergência italianos tentam controlar os danos, mas a comunicação social local dá conta de que um homem de 78 anos terá morrido na sequência de um choque elétrico, quando a água atingiu a sua casa. Desde 2003, que há um projeto em andamento para proteger a cidade, mas tem sido arrastado por consequentes atrasos. A Praça de São Marcos é um dos sítios mais afetados pelas marés altas, uma vez que está localizado numa das zonas baixas da cidade.

Leia a notícia completa no The Guardian (acesso livre, conteúdo em inglês).

Comentários ({{ total }})

Revista de imprensa internacional

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião