Autoeuropa vai produzir 250 mil carros este ano

  • ECO
  • 13 Novembro 2019

Este aumento de produção de 13 a 14% resulta do aumento de turnos semanais, da paragem em agosto ter sido de apenas duas semanas e não três e de não ter havido nenhum dia de paragem não planeado.

A Autoeuropa já assumiu que este ano vai conseguir produzir mais de 250 mil veículos em Palmela, revela esta quarta-feira o Jornal de Negócios. Esta fasquia é um novo recorde absoluto, e que ajudará o país a produzir um total de 300 mil unidades também graças ao aumento da produção de outras fábricas instaladas em Portugal.

A Autoeuropa deixou de revelar publicamente as suas metas de produção depois de o ano passado ter falhado a fasquia que se tinha estabelecido de produzir 240 mil unidades — produziu 220,9 mil veículos, o que ainda assim foi um novo recorde face aos melhores resultados conseguidos em 1998 (138.890 unidades).

Este aumento de produção de 13 a 14% resulta do aumento de turnos (19 por semana), da paragem em agosto ter sido de apenas duas semanas e não três e de não ter havido nenhum dia de paragem não planeado, ao contrário do que aconteceu o ano passado por diversas vezes devido aos problemas de fornecimento de peças, nomeadamente de motores.

A produção de veículos na Autoeuropa parece seguir imune ao abrandamento verificado na Alemanha, o principal mercado da Autoeuropa. As vendas de veículos Volkswagen, em solo alemão, cresceram 0,5% até setembro e o T-Roc, o modelo produzido exclusivamente em Palmela, vendeu 159 mil unidades até setembro, ou seja, uma subida de 13,8% em termos homólogos.

O aumento da produção automóvel também se verificou nas outras fábricas do país, tal como demonstram os dados da produção até setembro, o que leva a crer que Portugal poderá terminar o ano com uma produção total de 300 mil unidades.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Autoeuropa vai produzir 250 mil carros este ano

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião