Autoeuropa vai produzir 250 mil carros este ano

  • ECO
  • 13 Novembro 2019

Este aumento de produção de 13 a 14% resulta do aumento de turnos semanais, da paragem em agosto ter sido de apenas duas semanas e não três e de não ter havido nenhum dia de paragem não planeado.

A Autoeuropa já assumiu que este ano vai conseguir produzir mais de 250 mil veículos em Palmela, revela esta quarta-feira o Jornal de Negócios. Esta fasquia é um novo recorde absoluto, e que ajudará o país a produzir um total de 300 mil unidades também graças ao aumento da produção de outras fábricas instaladas em Portugal.

A Autoeuropa deixou de revelar publicamente as suas metas de produção depois de o ano passado ter falhado a fasquia que se tinha estabelecido de produzir 240 mil unidades — produziu 220,9 mil veículos, o que ainda assim foi um novo recorde face aos melhores resultados conseguidos em 1998 (138.890 unidades).

Este aumento de produção de 13 a 14% resulta do aumento de turnos (19 por semana), da paragem em agosto ter sido de apenas duas semanas e não três e de não ter havido nenhum dia de paragem não planeado, ao contrário do que aconteceu o ano passado por diversas vezes devido aos problemas de fornecimento de peças, nomeadamente de motores.

A produção de veículos na Autoeuropa parece seguir imune ao abrandamento verificado na Alemanha, o principal mercado da Autoeuropa. As vendas de veículos Volkswagen, em solo alemão, cresceram 0,5% até setembro e o T-Roc, o modelo produzido exclusivamente em Palmela, vendeu 159 mil unidades até setembro, ou seja, uma subida de 13,8% em termos homólogos.

O aumento da produção automóvel também se verificou nas outras fábricas do país, tal como demonstram os dados da produção até setembro, o que leva a crer que Portugal poderá terminar o ano com uma produção total de 300 mil unidades.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Autoeuropa vai produzir 250 mil carros este ano

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião