ANJE estreia categorias na 21.ª edição do prémio Jovem Empreendedor

Ydata, Hijiffy e Newton disputam 21.ª edição do prémio que este ano estreia categorias de Cultura, Diáspora, Exportador e Social. Vencedor recebe 25 mil euros.

A ANJE inaugura este ano quatro novas categorias para atribuir o prémio Jovem Empreendedor, que será entregue a 28 de novembro no Palácio da Ajuda. O prémio é um dos mais antigos galardões na área de empreendedorismo, a nível nacional. Nesta edição, às anteriores categorias serão adicionadas as de Cultura, Diáspora, Exportador e Social.

Esta é a 21.ª edição do prémio será atribuído a um dos três finalistas: a Ydata, plataforma de criação de dados sintéticos a partir de ruído aleatório utilizando um modelo de inteligência artificial, a Hijiffy, uma plataforma de comunicação para hotéis que centraliza, automatiza e mede o atendimento ao cliente, e a Newton, que combina algoritmos de deep learning e Natural Language Processing (NLP) para ajudar os candidatos a encontrarem oportunidades e também as empresas a recrutarem capital humano.

Voltamos a ter entre os finalistas do prémio, projetos inovadores, tecnologicamente sofisticados e com perspetivas de crescimento e internacionalização. Isto é revelador, quer da capacidade do prémio do Jovem Empreendedor para atrair startups de grande potencial, quer da própria evolução qualitativa do ecossistema português”, explica José Pedro Freitas, citado em comunicado.

Com periodicidade anual, o prémio valoriza, não só publicamente os negócios de elevado potencial, como garante apoios aos projetos distinguidos. Assim, o vencedor ganha um prémio de 10.000 euros para aplicar no capital social da empresa e também serviços de formação, coaching, incubação, aceleração, mentoria e networking avaliados em cerca de 15 mil euros.

Criado em 1998, o prémio do Jovem Empreendedor já premiou 39 projetos empresariais e os seus responsáveis. Ao longo dos anos, foram distinguidos pela Academia dos Empreendedores da ANJE empresas como a Crioestaminal, a Critical Software, a Master Bank, a TargetTalent e a Infraspeak, entre outras.

Quanto vale uma notícia? Contribua para o jornalismo económico independente

Quanto vale uma notícia para si? E várias? O ECO foi citado em meios internacionais como o New York Times e a Reuters por causa da notícia da suspensão de António Mexia e João Manso Neto na EDP, mas também foi o ECO a revelar a demissão de Mário Centeno e o acordo entre o Governo e os privados na TAP. E foi no ECO que leu, em primeira mão, a proposta de plano de recuperação económica de António Costa Silva.

O jornalismo faz-se, em primeiro lugar, de notícias. Isso exige investimento de capital dos acionistas, investimento comercial dos anunciantes, mas também de si, caro leitor. A sua contribuição individual é relevante.

De que forma pode contribuir para a sustentabilidade do ECO? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

ANJE estreia categorias na 21.ª edição do prémio Jovem Empreendedor

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião