Carro de James Bond esteve anos num armazém. Musk comprou-o por um milhão para criar a Cybertruck

  • ECO
  • 2 Dezembro 2019

Um casal comprou um armazém por 100 dólares, sem saber que lá dentro estava um Lotus Esprit de 1976, que tinha sido usado num filme de James Bond. Agora, Elon Musk comprou-o.

Elon Musk comprou um Lotus Esprit desportivo de 1976 por quase um milhão de euros, e tudo porque este carro foi um dos oito usados no filme de James Bond. O caricato deste negócio, de acordo com a CNBC (conteúdo em inglês), é que os anteriores donos tinham pago apenas 100 dólares por um armazém sem saberem, literalmente, que lá dentro estava este desportivo.

A história remonta a 1998, ano em que um casal de Nova Iorque comprou um armazém, em leilão, por cerca de 100 dólares (90,7 euros). Mas nem comprador nem vendedor tinham noção do que estava em causa.

Dentro do armazém estava um carro abandonado, coberto por velhos cobertores. Mas não era um carro qualquer. Era um Lotus Esprit de 1976, que tinha sido usado nas filmagens do filme de James Bond, “The Spy Who Loved Me“, diz a CNBC. No filme, este carro desportivo transforma-se num submarino e dispara mísseis dentro de água. Após as gravações, foi deixado no armazém e esquecido lá durante mais de uma década.

Lotus Esprit, 1976. Carro usado no filme de James Bond e comprado por Elon Musksv1ambo/Flickr

No início, o casal “realmente não sabia de que carro se tratava”, explicou Doug Redenius, cofundador da Ian Fleming Foundation, que autenticou o carro, em declarações à CNBC em 2013. O casal nunca tinha visto um filme de James Bond e, por isso, “não tinha noção do valor da descoberta”.

A ideia do marido era arranjar o tejadilho do carro e fazer outras reparações, até ao dia em que carregaram o carro para um camião e foram avisados de que estavam a transportar um automóvel de James Bond, explicou Redenius. Mais tarde, o homem “alugou um filme e viu o que tinha”.

De várias exposições até chegar a Musk

Depois de o casal ter “restaurado” o automóvel, andou durante 20 anos a exibi-lo em exposições, até ao dia em que decidiu colocá-lo à venda em leilão, em 2013, diz a CNBC. Foi nesse ano que Redenius, depois de ter sido procurado pelo casal, autenticou o carro e colocou os proprietários em contacto com a leiloeira Sotheby’s. Na altura, avisou: “se for vendido pelo que estamos à espera, esse dinheiro vai dar-vos a oportunidade de viver confortavelmente para o resto da vida”.

E assim foi. O Lotus Esprit foi vendido em 2013 a um comprador anónimo, descobrindo-se mais tarde que se tratou de Elon Musk, que pagou pelo automóvel 997 mil dólares (904,6 mil euros).

“Era incrível quando eu era uma criança na África do Sul a ver James Bond em “O Espião que Me Amava” conduzir o seu Lotus Esprit, pressionar um botão e transformá-lo em um submarino subaquático”, disse Musk ao blog Jalopnik, citado pela CNBC. “Fiquei desiludido ao saber que o carro não pode mesmo transformar-se. Mas vou aplicar-lhe um componente de força elétrico da Tesla e tentar transformá-lo de verdade“.

Na altura das filmagens, para adaptar o carro ao filme, uma empresa de engenharia marítima converteu-o num submarino funcional por mais de 100 mil dólares (90,7 mil euros). Recentemente, Elon Musk disse que o carro serviu como parte da inspiração para o novo Cybertruck da Tesla.

Mas este Lotus Esprit de 1976 não é o carro mais caro usado, num filme de James Bond, que já foi leiloado. Em agosto, um Aston Martin DB5 usado para promover o filme “Thunderball” foi vendido em leilão por 6,4 milhões de dólares (5,8 milhões de euros) a um comprador anónimo.

Comentários ({{ total }})

Carro de James Bond esteve anos num armazém. Musk comprou-o por um milhão para criar a Cybertruck

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião