Vistos gold: China investiu mais de 2.500 milhões de euros desde o início do programa

  • Lusa e ECO
  • 3 Dezembro 2019

Chineses foram quem mais investiu no programa dos chamados vistos gold, mais de 2.500 milhões de euros, quase quatro vezes o investimento feito por brasileiros, o segundo grupo que mais investiu.

O investimento chinês captado através dos vistos gold totalizou 2.529 milhões de euros nos sete anos do programa, enquanto o brasileiro foi de 678,6 milhões de euros, segundo dados do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF). Mais de 90% do investimento foi utilizado para comprar imóveis.

Lançadas em outubro de 2012, as Autorizações de Residência para Atividade de Investimento (ARI) captaram ao fim de sete anos quase cinco mil milhões de euros (4.911.263.689,42 euros), com a aquisição de imóveis a somar 4.433.605.566,52 euros.

Do montante total captado, o investimento oriundo da China representou mais de metade (51%), num total de 4.424 ARI atribuídos. No caso do Brasil, ao longo do programa foram atribuídos 844 vistos gold.

O investimento de origem turca ascendeu a 200 milhões de euros (370 ARI) e o russo a 198,7 milhões de euros (290 ARI). África do Sul integra o grupo das cinco principais nacionalidades que investiram em Portugal através daquele instrumento, com 194,6 milhões de euros investidos, com a concessão de 318 ARI.

No mês de outubro, o investimento através dos vistos gold recuou 19% face a igual período de 2018, para 59,9 milhões de euros. Já face a setembro, o investimento captado aumentou 23,7%. Nos primeiros 10 meses do ano, o investimento totalizou 661 milhões de euros, menos 0,8% do que em igual período de 2018.

Entre janeiro e outubro, o investimento chinês totalizou 196,1 milhões de euros, menos 10,8% face a igual período do ano passado, o brasileiro recuou 23% para 142,9 milhões de euros, e o da Turquia caiu para metade, em termos homólogos, atingindo 40,6 milhões de euros.

Estados Unidos (com 39,3 milhões de euros) e a Rússia (31,3 milhões de euros) são outros dos dois países que mais investiram através de vistos gold em 2019.

Contribua. A sua contribuição faz a diferença

Precisamos de si, caro leitor, e nunca precisamos tanto como hoje para cumprir a nossa missão. Que nos visite. Que leia as nossas notícias, que partilhe e comente, que sugira, que critique quando for caso disso. A contribuição dos leitores é essencial para preservar o maior dos valores, a independência, sem a qual não existe jornalismo livre, que escrutine, que informe, que seja útil.

A queda abrupta das receitas de publicidade por causa da pandemia do novo coronavírus e das suas consequências económicas torna a nossa capacidade de investimento em jornalismo de qualidade ainda mais exigente.

É por isso que vamos precisar também de si, caro leitor, para garantir que o ECO é económica e financeiramente sustentável e independente, condições para continuar a fazer jornalismo rigoroso, credível, útil à sua decisão.

De que forma? Contribua, e integre a Comunidade ECO. A sua contribuição faz a diferença,

Ao contribuir, está a apoiar o ECO e o jornalismo económico.

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Vistos gold: China investiu mais de 2.500 milhões de euros desde o início do programa

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião