Emprego surpreende e puxa por Wall Street

Os dados do emprego surpreenderam os analistas e investidores e estão agora a dar ânimo aos mercados norte-americanos Na última sessão da semana, Wall Street está em terreno positivo.

Os Estados Unidos criaram 266 mil empregos, em novembro, mais 80 mil do que o esperado. Estes dados foram conhecidos esta sexta-feira e estão a animar os investidores. Wall Street arrancou, por isso, a última sessão da semana acima da linha de água.

O índice de referência nacional, o S&P 500, valoriza 0,68% para 3.138,53 pontos. Igual tendência está a ser registada pelo tecnológico Nasdaq, que sobe 0,78% para 8.637,59 pontos e pelo industrial Dow Jones, que avança 0,75% para 27.886,14 pontos.

No penúltimo mês de 2019, a maior economia do mundo conseguiu criar 266 mil empregos, mais 80 mil postos do que os previstos pelos analistas. Este número representa, de resto, o maior volume mensal de novos postos de trabalho criados desde janeiro deste ano. Com esta evolução, a taxa de desemprego nos Estados Unidos recuou dos 3,6% registados em outubro para 3,5% em novembro.

De acordo com a Reuters, para esta evolução do emprego contribuiu o fim da greve da General Motors já que o setor automóvel gerou 41,3 mil empregos num total de 54 mil que foram criados pelo conjunto da indústria americana —mas também o reforço do recrutamento de trabalhadores registado no setor da saúde.

Para explicar o ânimo dos investidores, há ainda que somar a estes dados um outro, que foi conhecido na quinta-feira: o défice comercial dos Estados Unidos caiu, em outubro, para o nível mais baixo de um ano meio.

Além disso, Donald Trump disse que as negociações comerciais entre Pequim e Washington estão a correr “muito bem”, deixando a expectativa de que o acordo seja assinado em breve. Isto depois de o secretário da Comércio norte-americano, Wilbur Ross, ter avisado que se não fossem feitos avanços significativos nestas conversações as novas tarifas a aplicar às importações chinesas previstas para 15 de dezembro iriam mesmo avançar.

Assine o ECO Premium

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso.

De que forma? Assine o ECO Premium e tenha acesso a notícias exclusivas, à opinião que conta, às reportagens e especiais que mostram o outro lado da história e às newsletters ECO Insider e Novo Normal.

Esta assinatura é uma forma de apoiar o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo independente, rigoroso e credível.

Comentários ({{ total }})

Emprego surpreende e puxa por Wall Street

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião