Revista de imprensa internacional

  • ECO
  • 6 Dezembro 2019

Indústria alemã teve a maior queda homóloga desde a crise, enquanto a banca de investimento europeia está menos generosa com os trabalhadores. Uber, Twitter e FIFA também estão em destaque.

A economia alemã volta a dar sinais de alarme. Esta é uma das principais notícias, esta sexta-feira, nos jornais internacionais. O dia é marcado igualmente por vários destaques empresariais, a começar pelo número de agressões sexuais em viagens da Uber, nos Estados Unidos. Menores bónus dos banqueiros europeus, um novo campeonato mundial de futebol e a emissão de dívida do Twitter também estão em foco.

The Guardian

Indústria alemã tem a maior queda em dez anos

O motor da economia europeia deu novos sinais de desaceleração. A produção industrial da Alemanha caiu 5,3% em outubro, face ao mesmo mês do ano passado. A quebra é a maior em dez anos (desde novembro de 2009) e fica acima do esperado, sinalizando que a recessão industrial no país poderá prolongar-se. Em comparação com setembro, a quebra foi de 1,7%. “Estes dados sugerem que a economia alemã continuar a flirtar com a estagnação e contração no último trimestre do ano”, comentou Carsten Brzeski, economista chefe do ING na Alemanha.

Leia a notícia completa no The Guardian (acesso livre, conteúdo em inglês).

Reuters

Uber recebeu mais de 3.000 queixas de agressões sexuais em 2018

A plataforma de transporte de passageiros Uber recebeu 6.000 denúncias de agressões sexuais, nos EUA, em 2017 e 2018, dos quais mais metade aconteceram no ano passado. Os números estão presentes num relatório divulgado pela empresa sobre reclamações reportadas, por utilizadores, motoristas e por terceiros. É a primeira vez que a Uber divulga este relatório, já que a empresa e rival Lyft estão sob pressão para lidar com o crescente número de reclamações de utilizadores sobre situações de agressão.

Leia a notícia completa na Reuters (acesso livre, conteúdo em inglês).

Bloomberg

Banqueiros europeus vão ter corte nos bónus de 2019

A pressão sobre as receitas dos bancos de investimento vai traduzir-se numa redução nos bónus das equipas de trading e investimento de vários bancos europeus. O cenário na indústria financeira europeia é de reestruturação de várias empresas, juros negativos do BCE e elevados custos com digitalização. Apesar de os bónus só ficarem fechados no final do ano, antecipasse uma quebra de mais de 10%. Entre os bancos de investimento que deverão ser afetados estão o HSBC, o Deutsche Bank ou o SocGen.

Leia a notícia completa na Bloomberg (acesso condicionado, conteúdo em inglês).

Financial Times

CVC negoceia financiamento a novos campeonatos globais de futebol

O grupo de private equity CVC Capital Partners está em negociações com a liga internacional de futebol FIFA e com o clube espanhol Real Madrid (o mais rico do mundo) sobre o financiamento para um novo campeonato global de futebol que faça concorrência às mais populares ligas. Com a FIFA, a CVC estará a explorar a aquisição dos direitos comerciais, enquanto, separadamente, está a abordar o Real Madrid sobre em relação à criação da nova competição entre os melhores clubes de futebol do mundo.

Leia a notícia completa no Financial Times (acesso condicionado, conteúdo em inglês).

Wall Street Journal

Twitter emite dívida com juro abaixo do esperado

O Twitter foi ao mercado de dívida e conseguiu emitir 700 milhões de dólares a oito anos em obrigações com um juro abaixo do esperado. A taxa pedida pelos investidores fixou-se em 3,875%, enquanto o guidance inicial apontava para 4,5%, graças à forte procura que levou a empresa a aumentar a colocação em 100 milhões de euros. Esta foi a primeira vez que o Twitter emitiu dívida, que recebeu uma avaliação de rating no primeiro nível de investimento especulativo.

Leia a notícia completa no Wall Street Journal (acesso pago, conteúdo em inglês).

O jornalismo continua por aqui. Contribua

Sem informação não há economia. É o acesso às notícias que permite a decisão informada dos agentes económicos, das empresas, das famílias, dos particulares. E isso só pode ser garantido com uma comunicação social independente e que escrutina as decisões dos poderes. De todos os poderes, o político, o económico, o social, o Governo, a administração pública, os reguladores, as empresas, e os poderes que se escondem e têm também muita influência no que se decide.

O país vai entrar outra vez num confinamento geral que pode significar menos informação, mais opacidade, menos transparência, tudo debaixo do argumento do estado de emergência e da pandemia. Mas ao mesmo tempo é o momento em que os decisores precisam de fazer escolhas num quadro de incerteza.

Aqui, no ECO, vamos continuar 'desconfinados'. Com todos os cuidados, claro, mas a cumprir a nossa função, e missão. A informar os empresários e gestores, os micro-empresários, os gerentes e trabalhadores independentes, os trabalhadores do setor privado e os funcionários públicos, os estudantes e empreendedores. A informar todos os que são nossos leitores e os que ainda não são. Mas vão ser.

Em breve, o ECO vai avançar com uma campanha de subscrições Premium, para aceder a todas as notícias, opinião, entrevistas, reportagens, especiais e as newsletters disponíveis apenas para assinantes. Queremos contar consigo como assinante, é também um apoio ao jornalismo económico independente.

Queremos viver do investimento dos nossos leitores, não de subsídios do Estado. Enquanto não tem a possibilidade de assinar o ECO, faça a sua contribuição.

De que forma pode contribuir? Na homepage do ECO, em desktop, tem um botão de acesso à página de contribuições no canto superior direito. Se aceder ao site em mobile, abra a 'bolacha' e tem acesso imediato ao botão 'Contribua'. Ou no fim de cada notícia tem uma caixa com os passos a seguir. Contribuições de 5€, 10€, 20€ ou 50€ ou um valor à sua escolha a partir de 100 euros. É seguro, é simples e é rápido. A sua contribuição é bem-vinda.

Obrigado,

António Costa
Publisher do ECO

5€
10€
20€
50€

Comentários ({{ total }})

Revista de imprensa internacional

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião