BTG Pactual entra em Portugal de olho nas fortunas do Brasil

BTG Pactual, um dos maiores bancos de investimento na América Latina, chegou a Portugal para captar fortunas de brasileiros em fuga à crise, mas tem concorrência de outros bancos que estão a caminho.

O BTG Pactual é um dos bancos brasileiros prestes a entrar em Portugal de olho nas fortunas dos brasileiros emigrados no nosso país. O banco de investimento, que foi alvo de buscas no âmbito processo de corrupção Lava Jato, já está registado junto do Banco de Portugal e da Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM). E até já está a publicitar a abertura do escritório em Lisboa.

“O Banco BTG Pactual, S.A. – Escritório de Representação está registado em Portugal”, confirmou fonte oficial do BdP ao ECO. A CMVM acrescenta que “a entidade já se encontra em Portugal em regime de livre prestação de serviços”.

O banco tinha mostrado a intenção de expandir para Portugal numa conference call com investidores, em setembro, segundo O Globo. O diretor financeiro, João Dantas, explicou, na altura, que o foco é o mercado de wealth management e que pretende aproveitar a fuga de brasileiros para Portugal devido à crise.

O anúncio foi feito um mês depois de a sede do banco ter sido alvo de buscas no âmbito da Operação Lava Jato, a maior operação anticorrupção no Brasil que está a ser levada a cabo desde 2014. A investigação revelou um esquema de corrupção que envolvia empresas públicas e altos responsáveis políticos e económicos.

No caso do banco, as suspeitas incidem sobre possíveis ilegalidades na venda de ativos da Petrobras ao BTG em África. Também André Santos Esteves, banqueiro e ex-CEO do BTG Pactual, foi alvo de buscas. Não foram dadas ordens de prisão e as investigações não impediram os planos de expansão do banco.

O grupo BTG Pactual lucrou mais de 2.824 mil milhões de reais (cerca de 606 milhões de euros) nos primeiros três trimestres de 2019, enquanto as receitas atingiram 5.847 milhões de reais (1.255 milhões de euros). O montante de ativos sob gestão situava-se, em setembro, em 253,9 mil milhões de reais (54,5 mil milhões de euros). Contactado pelo ECO, o banco de investimento remeteu declarações para o momento de abertura oficial do escritório.

Concorrência brasileira em terras lusas

O BTG Pactual terá agora de disputar a atenção dos brasileiros mais ricos que vieram, nos últimos anos, para Portugal, com outros bancos de investimento brasileiros que já anunciaram que pretendem abrir sucursais em Lisboa. O Itau Unibanco, o Banco Bradesco ou a corretora XP Investimentos já cá estão.

O escritório em Lisboa será o terceiro do banco na Europa — as outras são em Londres e Luxemburgo –, mas o BTG Pactual não poderá realizar operações bancárias. “De acordo com o Regime Geral das Instituições de Crédito e Sociedades Financeiras (RGICSF), os escritórios de representação não podem realizar diretamente operações bancárias, limitando-se a zelar pelos interesses no nosso país das instituições que representam“, esclareceu o Banco de Portugal.

Mesmo estando limitadas as operações, os gerentes dos escritórios de representação no país estão sujeitos a todos os requisitos de idoneidade e experiência que a lei estabelece para os membros do órgão de administração das instituições de crédito com sede em Portugal. Atualmente, Steve Jacobs é o chairman da BTG Pactual Asset Management e o responsável pelos investimentos internacionais de todo o grupo.

Comentários ({{ total }})

BTG Pactual entra em Portugal de olho nas fortunas do Brasil

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião