Banco BPI integra negócios da banca de investimento e sociedade de risco

  • Lusa
  • 15 Outubro 2018

O Banco BPI acaba de anunciar a fusão com o Banco Português de Investimento e a sociedade de risco BPI Private Equity, no âmbito da reorganização do grupo que está a ser feita pelo seu dono.

O Banco BPI anunciou esta segunda-feira a fusão com o Banco Português de Investimento e a sociedade de risco BPI Private Equity, no âmbito da reorganização do grupo que está a ser feita pelo seu dono, o Caixabank.

Na informação à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), divulgada pelo BPI, é dito que estas fusões por incorporações e respetivas extinção jurídicas destas sociedades têm em vista “simplificar a estrutura do grupo BPI”.

O CaixaBank, que tomou o controlo do BPI em 2017, tem vindo, desde então, a alterar a estrutura do grupo bancário português e a puxar para si atividades do BPI de banca de investimento.

Em novembro de 2017 foi acordada a venda ao CaixaBank das atividades do BPI de banca de investimento, o que deve ser concretizado ainda este ano, estando o Caixabank a constituir uma sucursal em Portugal com essa finalidade.

Ainda em comunicado enviado esta segunda-feira à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários, o BPI marcou para 16 de novembro uma assembleia-geral de obrigacionistas para que votem as fusões por incorporação anunciadas no mesmo dia.

A justiça espanhola anunciou no dia 4 de outubro, em Madrid, que decidiu investigar uma queixa contra o CaixaBank e um seu ex-presidente por alegado abuso de posição de mercado, administração desleal e delitos administrativos aquando da aquisição do BPI.

Em reação, no mesmo dia, o espanhol CaixaBank rejeitou que tenha havido irregularidades na compra do banco português BPI, assegurando que todas as operações “foram efetuadas no estrito cumprimento das obrigações legais”.

Apoie o jornalismo económico independente. Contribua

No momento em que a informação é mais importante do que nunca, apoie o jornalismo independente e rigoroso. O acesso às notícias do ECO é (ainda) livre, mas não é gratuito, o jornalismo custa dinheiro e exige investimento. Esta contribuição é uma forma de apoiar de forma direta o ECO e os seus jornalistas. A nossa contrapartida é o jornalismo rigoroso e credível, mas não só. É continuar a informar apesar do confinamento, é continuar a escrutinar as decisões políticas quando tudo parece descontrolado.

Introduza um valor

Valor mínimo 5€. Após confirmação será gerada uma referência Multibanco.

Comentários ({{ total }})

Banco BPI integra negócios da banca de investimento e sociedade de risco

Respostas a {{ screenParentAuthor }} ({{ totalReplies }})

{{ noCommentsLabel }}

Ainda ninguém comentou este artigo.

Promova a discussão dando a sua opinião